Portal 6

O vício da Internet

Uma parcela significativa dos jovens se vê em um caminho, às vezes, sem volta: o vício na Internet. Essa dependência cada vez maior de estar online é um fator que preocupa famílias no mundo inteiro.

Tudo inicia no momento em que o jovem conhece a Internet. Aquele fascínio, deslumbramento por aquela ferramenta usual do nosso dia-a-dia. O lazer que a Internet proporciona ao seu usuário vira motivo para que jovens passem horas e horas envolvidos.

O que era diversão agora já se torna algo visualmente distorcido do normal. O deslumbramento já se torna dependência. Raramente, o jovem não acessa a Internet. A tolerância já se aumenta, o usuário já é capaz de ficar tempo longo demais na web. A família não percebe o problema à vista pelo, geralmente, distanciamento do jovem com o restante dos familiares. E assim como um viciado, o usuário não vê o problema.

A terceira fase já é marcada pela dependência total. Dias, ou até horas sem acesso a Internet é uma espécie de tortura ao viciado. As horas na frente ao computador passam em um piscar de olhos para o usuário. A família percebe o problema, mas já é tarde demais. O viciado se aprisiona no mundo virtual. Não aceita a nomenclatura “viciado” para se referir a ele.

Deve-se considerar que devemos diferenciar o seguinte: internet é ferramenta de uso, não o sentido da vida.

João Gabriel Resende é estudante, colunista e ativista da Rede Sustentabilidade. Escreve todos os sábados.

Quer comentar?

Comentários

Comente

Nosso Facebook





Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.