Com que tipo de olhar para vida você começou o ano de 2016?

Damos o ponta pé inicial cheio de expectativas, desejo de realizações, vontade de deixar aflorar potenciais enterrados, outros reprimidos, anseios de mudar conceitos de forma prática, mas, infelizmente pouco se consegue de fato.

Todos temos potenciais extraordinários, somos uma máquina humana de infinitas surpresas, universos individuais capazes de grandiosos feitos cada um com sua peculiaridade, o que torna cada vez mais interessante o quadro de talentos distribuídos em todos os lugares.

Muitos por falta de confiança em si mesmo, desiste antes mesmo de tentar, ficam intimidados quando fatores externos e olhares os desaprovam. A questão é que esses que assim olham, subestimando a capacidade alheia, enxergam-no a partir deles e nunca conseguem validar potenciais humanos. Essa negativa que o olha de baixo pra cima são ousados em medir o esforço e potencial alheio com réguas inexpressivas, julgando não ser bom ou real; e nessa circunstância, os que sofrem esse tipo de dano sentem-se travados, sem auto-confiança, não se entregando em seu caminho existencial a realizar seus feitos.

Nessa conjuntura confiar em si mesmo é o desafio. No ciclo natural da vida andamos todos descansados, mas no campo dos enfrentamentos é que florescerá a confiança, pois é algo que só passa a existir em nós quando se impõe contra todos os instintos da inteligência programada para desconfiar. Somente assim, colocando a fé vestida de confiança em seu potencial é que projetará o que é bom, mesmo que não tenha nada de concreto.

Os olhares ao redor de descrédito por seus méritos não devem reger seus passos. Pelo contrário, nesses casos se faz necessário fechar os olhos e ouvidos para tudo o que for negativo. A disposição mental positiva é o que pavimenta o caminho de um ser humano que quer alcançar seus propósitos.

Quem se auto-examina, se conhece e resiste melhor às críticas e às pessoas que perdem tempo subestimando o potencial alheio, pois se fortalece e se utiliza disso para diminuir seus desacertos, tornando-se imune a esses, de fato sua consciência mostrará que está no caminho da realização. Desse modo o autoexame diferencia aqueles que nunca ousam nada e subestimam os outros, daqueles que vivem para o que lhe é inerente, verdadeiro e real.

O nosso alento é que ainda existem pessoas que não somente reconhecem seus potenciais, como também reconhece o dos outros e se alegram em vê-los brilhando. O ser humano que é capaz de validar com coração sincero potenciais humanos são os que tem bom olhar e os pés cravados na verdade e no amor.

De gente assim que devemos nos aproximar e estabelecer vínculos, com efeito não se sentem incomodados com o potencial de ninguém.

O ano de 2016 está aí apenas começando, inteirinho esperando seus passos ágeis, cheios de vigor, de fé e vontade de vencer. Se nosso olhar for bom e humilde para a vida e para os outros, ela mesmo (a vida) se encarregará de olhar positivamente e maravilhosamente pra você; e, quando chegar lá onde almejas, mantenha-se da mesma forma, com coração grato, humilde, reconhecendo potenciais humanos tanto quanto você tem de competência e capacidade. Sendo assim, não temos nada a perder.

Deniza L. Zucchetti é escritora nas horas vagas e mãe em período integral.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

Rápidas

Danilo Boaventura

Danilo Boaventura

É a seção que publica informações exclusivas, de bastidores sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Dinheiro Nosso

Rodolfo Torres

Rodolfo Torres

É a seção que publica informações exclusivas, de economia sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás