Trinta minutos para pensar em si

Quando foi a última vez que você parou para pensar em si? Faço frequentemente essa pergunta aos meus pacientes e a resposta mais comum é: “não lembro quando parei e refleti sobre a minha vida”. Isso mostra o quanto as pessoas não param para refletir sobre suas relações, tarefas, objetivos e trabalhos. No máximo, lamentam determinado infortúnio. Então, questiono se a pessoa percebe que deixar outro pensar sobre sua vida é se deixar comandar pelo outro, mas que a responsabilidade continua sendo sua, novamente a resposta é negativa. O interessante é que nos alimentamos, escovamos os dentes, nos lavamos, cuidamos dos bens, etc., mas pensamos muito pouco em nós mesmos. Falo isso porque a falta de tempo é a justificativa mais comum.

Se você não pensar no que está construindo, quem irá? Essa questão é mais séria do que muitos imaginam. Num primeiro momento, parece que a resposta mais coerente é “ninguém vai pensar por mim”. Mas não é isso que ocorre. Na maior parte das relações, sempre tem alguém para pensar sobre a sua vida. O problema é que ela geralmente não pensa para realizar seus desejos, mas os próprios. Não o faz por mal, mas ela parte do próprio ponto de vista e o que considera que é o melhor para você. Se acertar, você fica feliz, mas na maior parte das vezes você reclama e, se realmente der errado, é você quem “paga”, ou financeiramente, ou com o tempo da sua vida, com retrabalho e quase sempre com sofrimento. E porque isso? Porque você não parou para pensar sobre si mesmo, sobre o que gosta, o que quer fazer, o que lhe realiza. Parece estranho, mas essas questões não são respondidas pela maioria das pessoas. Consequentemente, tantas pessoas tem dificuldade de escolher e, o pior, de aceitar o que não gostam.

Por isso é de suma importância parar, pelo menos, uns trinta minutos por dia para pensar em si. Não há necessidade de ser contínuo, mas no decorrer do dia disponibilizar esse tempo para si. Se você tiver condições de reservar no início da manhã uns minutos para refletir sobre o que fará no dia e suas consequências, aproveite! Esse tempo é um investimento para sua vida.

Flavio Melo Ribeiro é psicológo e blogueiro. Escreve todas as terças-feiras.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook