Portal 6

Por que algumas pessoas se acham melhores que outras?

Fica a pergunta. Seria má intenção? Leitura equivocada do outro? Pré-conceitos, arrogância, soberba? Uma capa para disfarçar sua baixa autoestima?

Ninguém é melhor que ninguém por possuir bens, pela cor da sua pele, pela religião, pela opção sexual, por ter obtido êxito em algo que lutou tanto para conquistar – óbvio, tem seus méritos, mas isso não o catapulta ao 1° lugar do pódio do mundo – quem se enxerga, sabe.

O caráter nos define. E caráter está a anos luz de distância daquilo que as pessoas interpretam e confundem como sendo bom no outro – o carisma. Não podemos achar que alguém é gente boa e tem caráter por ser carismático, políticos compram votos usando seu carisma, líderes acorrentam almas de fiéis se utilizando disso também, psicopatas atraem suas vítimas com seu carisma.

Caráter é algo sólido e sua construção demanda uma vida. Pessoas de caráter, que são gente boa nos atraem pelos frutos – verdade, amor, sinceridade, humildade, empatia, amizade, paciência, perdão, transparência, alegria, diligência; enfim, é um ser ensinável onde seu caráter se manifesta através de atitudes, valores, motivações e sentimentos.

Pessoas assim nos atraem pela doçura que saem de seus lábios e seu sorriso que nos abraça, pelo olhar que reflete luz e por conseguirem sorrir com seus olhos, a sinceridade de suas palavras nos alenta, por ter empatia ao invés de uma balança nas mãos, seu caráter firme não muda com as circunstâncias, não o transforma em algoz de ninguém. Gente assim entende que cada novo dia é uma rica oportunidade de se melhorar mais e mais, pois compreende que a caminhada é longa e todos a estão trilhando; alguns calçados, outros descalços, tantos outros aleijados e muitos já até desistiram pelo cansaço – cada qual com suas histórias, feridas abertas, feridas saradas, em diferentes fases de amadurecimento e que infelizmente uma boa parcela permanecerá durante toda a vida com a mente cauterizada, com a alma engessada a despeito de tantos testes que a vida lhe confiou para que fosse desenvolvido os frutos de um caráter saudável.

Alguns se acham demais desprezando os outros e isso é triste! Triste, pois constata que é uma pessoa mal intencionada e pateticamente retardada. Contudo esse quadro é auto-revelador, mostrando o ego infantil que projeta as ambições maldosas, denunciando a perversão dos valores distorcidos. Gente assim se sente pronta, melhor do que o resto que pra ela não passa disso: resto!

A leitura que faz do outro é sempre deturpada, não o compreende, não o sente, não o percebe, não o enxerga, apenas o interpreta a partir de si mesmo – mal sabem que servem de material de estudo histórico e psicológico extraordinários para todo tipo de análise, pois tudo o que dizem e fazem diz apenas a respeito deles mesmo – mas não façam isso em casa, seria crueldade! Levantam a cerviz altiva ditando sentenças a quem julga conhecer ou que repudia por não serem exatamente como queriam que fossem, sendo que tão pouco sabem sobre si mesmos, desejando ser adulados e nunca confrontados frente a verdade. Pessoas assim tem uma condição mental reprovável, caráter duvidoso e um olhar que seca tudo o que vê, enxergando o que não é vendo tudo nebuloso.

Gente boa sabe que não é melhor que ninguém, não sente necessidade de se utilizar de um marketing pessoal à custa de ferir a dignidade de outrem; gente boa trabalha a si mesmo, ara solo fértil para que bons frutos possam gerar a despeito de tantas tentativas, erros e acertos; gente boa não é oportunista nem escolhe a máscara do dia que vai usar, pois seu rosto está exposto à luz para que todos enxerguem o ser humano que é.

Gente boa anda, caminha, corre, sua vida se desenvolve, está sempre na torcida para que o outro também alcance seu lugar de vitória, gente boa sabe que cada página virada é passado, não sente necessidade de olhar pra trás com inveja amargurada comparando-se e desdenhando seus companheiros de corrida, de fato sabe que cada um desenvolve de acordo com aquilo que lhe é acrescido na vida, gente boa tem uma excepcional coragem ancorada na verdade e um coração honesto.

Gente boa sabe que percalços acontecem a todos e acredita que bem-aventurados são os humildes, os que choram, os que se alegram na alegria do próximo, os mansos, os famintos de justiça, os perseguidos e os que promovem a todo custo a paz. Gente convencida detesta essa verdade.

Deniza L. Zucchetti é escritora nas horas vagas e mãe em período integral.

Quer comentar?

Comentários