Agentes de saúde visitaram 100% dos imóveis em Anápolis, mostra ConectaSUS

Do dia 8 a 13 de abril, a força-tarefa Goiás contra o Aedes concentrou sua atuação na cidade de Anápolis, mobilizando 400 pessoas para combater os focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e vírus zika.

Este é o primeiro município do Estado com mais de 300 mil habitantes a realizar 100% das visitas domiciliares, segundo informações da força-tarefa.

Todas as manhãs, um local estratégico foi escolhido para receber o posto central que servia de ponto de partida para a equipe de trabalho.

Comandada pela Defesa Civil de Goiás e pela Gerência de Endemia da cidade, a ação contou com apoio funcionários da prefeitura, de agentes de combate às endemias, agentes comunitários de saúde, representantes da Secretaria Estadual de Saúde, da Aeronáutica e mais 253 voluntários.

Visitas

Em oito dias, segundo a força-tarefa, mais 173 mil domicílios, prédios públicos, comerciais e industriais da cidade foram visitados. A ação foi possível graças à estratégia eficaz que dividiu a equipe em duplas, que partiam nos carros disponibilizados pela prefeitura para visitar cada quadra do município.

Em seguida, ao final do percurso, os dados dispostos em fichas padronizadas eram transmitidos ao posto de comando, que tratava a informação. “Anápolis era uns dos municípios com mais de 100 mil habitantes que tínhamos dificuldade em mobilizar os agentes para as ações de vistoria. Com a força-tarefa intersetorial, conseguimos alcançar nossos objetivos”, ressalta o tenente-coronel Pedro Carlos Lira, que esteve à frente das operações.

A coordenadora municipal de endemias, Erica Rodrigues Reis, foi uma das principais ativadoras locais. “Durante as visitas pudemos constatar vários focos em locais impensáveis, como na roupa deixada de molho, nas vasilhas de água dos animais domésticos e galinheiros”, informa. Apesar de a ação ter sido aplaudida em vários bairros, a recusa em cerca de 20% das casas também surpreendeu a coordenadora.

“Infelizmente, algumas pessoas se assustaram com a mobilização e pediram para voltarmos depois. Mas isso não será um problema, nós temos tudo mapeado e até o final do mês repassaremos casa a casa com os agentes”, completa.

Os dados coletados estão no site do Conectasus.

Pelo georreferenciamento, é possível saber onde foram encontrados os focos do mosquito. Também é possível visualizar os dados quadra a quadra e obter informações específicas como o número de imóveis vistoriados, fechados ou recusados e número de casas por quarteirão, segundo a força-tarefa.

Ações desse tipo devem se repetir em maio e junho nos 246 municípios goianos. Anápolis, 366.491 habitantes, é um dos municípios em nível de atenção 1, segundo dados da Sala Nacional de Coordenação e Controle, que coordena as ações de combate ao Aedes aegypti em todo o País. Essa classificação engloba 223 locais com incidência de dengue igual ou maior de 100 casos por 100 mil habitantes, e com população igual ou superior a 50 mil, além das capitais federais.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook