Juiz afasta servidora pública acusada de furtar fiança de delegacia de Anápolis

O juiz Ricardo Dourado, acatando pedido do promotor de Justiça Publius Lentulus Alves da Rocha, decretou o afastamento cautelar da função pública da agente auxiliar de polícia Maira Rúbia Segatine. A servidora afastada também está proibida de acessar ou frequentar delegacias de polícias, para evitar o risco de novas infrações

Na denúncia oferecida pelo promotor, Maira, lotada na 3ª Delegacia Regional de Polícia de Anápolis, valendo-se da facilidade que a função lhe proporciona, apropriou-se de R$ 205,00, parte de um recolhimento de fiança arbitrada contra um preso em flagrante. O crime aconteceu em torno das 5h30 do dia 15 de setembro de 2015.

Na ocasião, a agente integrava a equipe de plantão policial quando soube do recebimento de R$ 2.364,00, referente a um fiança pela prática de crime de embriaguez ao volante. Ela, então, foi até a sala onde o dinheiro estava guardado e, de posse das chaves, retirou os cerca de R$ 200,00.

Consta da apuração que, na ocasião, ela deixou algumas moedas caírem ao chão. Uma outra policial foi ao local e flagrou Maira mexendo no saco plástico que acondicionava o dinheiro e a repreendeu. Em resposta, a agente alegou que estava guardando uma algema no local, quando rasgou o saco de dinheiro acidentalmente, indo embora na sequência, levando a quantia consigo.

Maira Rúbia Segatine está sendo denunciada pelo crime de peculado, que ocorre quando o funcionário público toma para si algo pertencente ao Estado. Quem comete esse tipo de crime pode pegar de dois a 12 anos de reclusão, além de multa.

Com informações da Ascom do MPGO

 

 

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook