Portal 6

Banco de Sangue PET precisa urgentemente de doadores

Faltam doadores para o banco de sangue pet. O alerta é da Méd. Vet. Ana Cristina Alves dos Santos, uma das responsáveis pelo Banco de Sangue Pet, o primeiro banco de sangue animal completo de Goiás. A demanda é grande, mas faltam doadores por causa do desconhecimento da população e dos criadores de animais.

O banco de sangue atua em Goiânia há um ano, mas atende também Brasília e Anápolis.

Existem cerca de 40 cães e 10 gatos doadores regulares atualmente no local.  Os cães precisam ter mais de 23 quilos e idade entre 1 a 8 anos para doar 450 ml a cada três meses.

Já os pré-requisitos para os gatos são: pesar mais de 4 kg e idade entre 1 e 8 anos também. Os felinos doam 60 ml a cada três meses. Todos devem ser saudáveis e não terem recebido sangue anteriormente. Os animais passam por testes para detectar doenças infectocontagiosas e são monitorados de forma permanente dentro de um programa de Medicina Veterinária preventiva.

Em troca do gesto solidário, os pets doadores ganham todas as vacinas anuais e exames regulares. “Não existe risco para o animal, que deve apenas evitar atividade física intensa no dia da coleta”, explicou a Médica Veterinária ao ressaltar o objetivo da empresa, que é auxiliar o clínico a salvar cada vez mais vidas que são perdidas com a falta ou deficiência de produtos e subprodutos sanguíneos na área de hematologia veterinária.

Demandas

 O Banco de Sangue Pet atende principalmente às seguintes demandas: animais que sofrem de doenças do carrapato (hemoparasitoses), insuficientes renais, pacientes com câncer ou que sofreram acidentes. Geralmente os donos de pacientes que precisam dos serviços em algum momento difícil acabam oferecendo seus animais para ajudarem outros pets, como explicou a Médica Veterinária, que também consegue doadores nos canis.

A empresa disponibiliza os serviços de: sangue fresco total, concentrado de hemácias, plasma fresco congelado, concentrado de plaquetas, teste de compatibilidade, tipagem sanguínea e realização de transfusão. A Hemoterapia é um procedimento emergencial que auxilia no tratamento de inúmeras enfermidades graves, por meio da utilização de sangue total e de seus hemocomponentes. A transfusão sanguínea visa corrigir temporariamente algum distúrbio hematológico severo.

A prática da transfusão sanguínea na Medicina Veterinária tem crescido muito no Brasil, juntamente com a qualidade e segurança deste procedimento. O fracionamento do sangue permite infundir apenas o hemocomponente específico para cada caso, sem precisar submeter o animal a componentes desnecessários que poderiam até prejudicar sua recuperação.

Dependendo da enfermidade, essa resposta rápida pode salvar vidas. A cada dia novas pesquisas acrescentam conhecimentos sobre reações transfusionais e sobre grupos sanguíneos das mais variadas espécies. A implementação de novos conceitos relacionados às boas práticas na coleta, transporte, processamento e no acondicionamento do sangue e de seus derivados também têm contribuído para o aprimoramento da técnica.

A Méd. Vet. Ana Cristina Alves dos Santos disse que o Banco de Sangue Pet foi aberto depois de perceber a dificuldade crescente dos clínicos de conseguirem sangue em tempo hábil e doadores saudáveis.

“Vimos a demanda de sangue aumentar a cada dia e muitas vidas sendo perdidas devido à falta ou deficiência de produtos e subprodutos sanguíneos”, ressaltou ela que está feliz que a receptividade e adesão dos colegas.

A empresa funciona no Jardim América, em Goiânia. Fone: (62) 3637-7771. Veja mais em  www.bancodesanguepet.com.br.

Quer comentar?

Comentários