Dica para as férias: cinco técnicas para ajudar a criança a meditar

Não consegue nem imaginar aquela criança que parece ligada na tomada sentadinha de olhos fechados, completamente imóvel por mais de cinco segundos? Pois saiba que isso é possível. Claro que não é de um dia para o outro. A meditação se aprende. E, principalmente, com o exemplo.

Os benefícios valem a pena: redução da hiperatividade, melhoria no desempenho escolar, mais concentração e foco, menos estresse, nervosismo e ansiedade.

Deborah Rozman, autora do livro Meditação para Crianças, dá três regras básicas para conseguir isso:

“A primeira delas é que a criança não deve se sentir obrigada a praticá-la. A segunda é que o baixinho deve meditar por pouco tempo, alguns minutos apenas. As crianças se distraem muito. A terceira dica é que toda meditação deve seguir uma orientação de adultos, pelo menos no início”

Começe com um minuto apenas. Vendo que a criança consegue se concentrar, vá aumentando o tempo de prática gradativamente.

Algumas técnicas podem ajudar a criança a entrar no estado meditativo:

1) Concentrar na respiração

A técnica baseada no “mindfulness”, é bem simples. Peça para a criança se sentar confortavelmente e se concentrar no ar que entra e no ar que sai. Pode ser algo como: “feche seus olhos e se concentre na sensação: o ar que entra friozinho pelo seu nariz e enche o seu peito. Depois sai, esvaziando o peito e passa quentinho, saindo do nariz. Ar entra. Um, dois, três. Ar sai. Um, dois, três”.

Outra técnica interessante é usar uma pedrinha, um cristal ou qualquer objeto pequeno e não chamativo em cima da barriguinha da criança deitada. Peça pra ela olhar para a pedrinha que sobe quando o ar entra e desce quando o ar sai.

2) Focar o olhar em um ponto

Pode ser a chama de uma vela, um catavento que gira, um pêndulo, a fumacinha de um incenso. A intenção é que a criança consiga ficar só olhando a imagem por um tempo determinado.

3) Ouvir o sino

Um som que se extende e silencia lentamente é também um jeito bem fácil de fazer as crianças se concentrarem, principalmente as pequenas. Pode ser um sino, a corda de um violão, a nota de um violino, um bowl, até um tambor. Peça para que fechem os olhinhos e escutem o som até ele acabar e o silêncio aparecer. Faça um número de repetições que não canse a criança.

4) Repetir palavras ou frases

A simples repetição, desde que não seja entediante para a criança, já conduz a um estado meditativo. Podem ser palavras simples como amor, saúde, paz, alegria. Ou frases com um sentido bonito: “Quero tornar-me aquilo que sou: uma criança feita de luz” ou “Do meu coração brotam o amor e a luz que enchem o mundo de paz”.

5) Imagens mentais

O adulto pode conduzir uma meditação guiada e relaxante com uma historinha de fácil entendimento. Por exemplo: “Deite-se e feche os olhos. Imagine que agora é uma bonequinha de pano, bem molinha, que se esparrama pelo chão. Sinta os pés molinhos, as pernas, a barriga, as mãos, os braços, os ombros, o pescoço e a cabeça. Tudo está molinho e esparramado”. Pode ser a água de uma praia que molha os pés, pernas e braços. Pode ser uma rede que balança para lá e para cá. O tom de voz tem que ser suave. Você pode usar um fundo musical e um incenso calmante também.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

Rápidas

Danilo Boaventura

Danilo Boaventura

É a seção que publica informações exclusivas, de bastidores sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Dinheiro Nosso

Rodolfo Torres

Rodolfo Torres

É a seção que publica informações exclusivas, de economia sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Deniza Zucchetti

Deniza Zucchetti

É professora por vocação, quase RI, escritora por amor nas horas vagas e mãe em período integral

Bruno Rodrigues Ferreira

Bruno Rodrigues Ferreira

É jornalista, psicólogo e especialista em Tecnologia e Educação e Gestão em Saúde