Após três meses percorrendo o Brasil, revezamento da Tocha Olímpica chega ao fim

Anápolis também participou do Revezamento da Tocha. (Foto: Reprodução)

Depois de mais de três meses e de percorrer mais de 20 mil quilômetros por terra e 10 mil milhas aéreas, a Tocha Olímpica que cruzou o Brasil, vinda de Olímpia, na Grécia, terminou o percurso no Aterro do Flamengo, na altura do Monumento aos Pracinhas, na cidade do Rio de Janeiro. Daqui a pouco, a chama acenderá a pira olímpica, na abertura oficial dos Jogos Olímpicos da Rio 2016, no Estádio do Maracanã, em uma cerimônia que terá apresentação de artistas como Gilberto Gil, Caetano Veloso e Luiz Melodia, além do desfile de atletas das delegações.

O cavaleiro e atleta olímpico Rodrigo Pessoa foi o último condutor da tocha, que passou pelas mãos de 12 mil pessoas. “Apesar de não competir este ano, a ansiedade é grande”, disse o cavaleiro.

Após a chegada da chama ao ponto final do revezamento, os profissionais do Comitê Organizador e da Força Nacional de Segurança festejaram. Os responsáveis oficiais pelo trajeto conviveram cerca de três meses fazendo a segurança e organizando a passagem.

No último dia, o trajeto começou no mais tradicional símbolo da cidade maravilhosa, o Cristo Redentor, e seguiu pela orla da zona sul em direção a outro grande ícone da cidade: o Pão de Açúcar, na Urca.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

Rápidas

Danilo Boaventura

Danilo Boaventura

É a seção que publica informações exclusivas, de bastidores sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Dinheiro Nosso

Rodolfo Torres

Rodolfo Torres

É a seção que publica informações exclusivas, de economia sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Deniza Zucchetti

Deniza Zucchetti

É professora por vocação, quase RI, escritora por amor nas horas vagas e mãe em período integral

Bruno Rodrigues Ferreira

Bruno Rodrigues Ferreira

É jornalista, psicólogo e especialista em Tecnologia e Educação e Gestão em Saúde