Pesquisa mostra que brasileiros consideram gasto com estética fundamental

(Foto: Reprodução)

Mesmo em tempos de crise, beleza é prioridade para o consumidor brasileiro. É isso que mostra a pesquisa  feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC, e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

Quando o orçamento aperta, o primeiro item que sai da lista de compras é o gasto com bares e restaurantes. Opção de economia de um  a cada três brasileiros. Em seguida, vem os gastos com viagens. Adilson Sabino, corretor de imóveis se encaixa nesse perfil. Mas o que ele não abre mão é do cabelo bem cortado.

A possibilidade de cortar gastos com a estética só aparece em sexto lugar  na lista dos brasileiros. Menos de dois a cada dez pessoas estão dispostas a abrir mão dessa despesa. A  advogada aposentada Dalva Lagin acha que o gasto é fundamental.

Mas é aí que mora o perigo. A pesquisa também mostrou que sete a cada dez pessoas reconhecem terem feito compras  desnecessárias para cuidar da aparência e 13% acumularam dívidas porque gastaram mais do que podiam com  produtos de beleza.

A economista chefe do SPC, Marcela Kauati,  alerta que apesar de ser considerado prioritário,  é preciso ter cuidado para não perder o controle. A pesquisa ouviu 790 consumidores em todos os estados brasileiros e a margem de erro é de 3,5 pontos para baixo e para cima.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook