Como os machucados saram?

(Foto: Reprodução)

Machucar é a coisa mais comum do mundo, principalmente quando somos crianças e caímos enquanto corremos e brincamos. Alguns machucados saram mais depressa enquanto outros demoram mais. Mas como isso acontece? Por que depois de algum tempo já não possuímos mais aquela ferida? A Fernanda Nunes, aluna de Medicina da UFMG, é quem nos ajuda a responder essa questão. Confiram:

“Quando você rala o joelho, até que o machucado sare passa um tempo, não é? É porque muita coisa tem que acontecer para que seu joelho fique como antes.

Na hora que você rala sai sangue. E esse sangue vai endurecer e formar a famosa casquinha do machucado. Enquanto isso acontece, algumas células são levadas através dos vasos sanguíneos ao local do machucado para tentar reconstruir aquilo que foi ferido. Essas células fazem parte do nosso sistema imunológico que, além de ser o nosso sistema de defesa, é responsável por reparar tudo aquilo que é lesado no nosso organismo. Essas células, então, vão produzir substâncias capazes de estimular o crescimento e a multiplicação de células desse local. Essas novas células vão tomar o lugar daquelas perdidas quando você machucou. E, além disso, são produzidas substâncias que vão estimular a formação de todos os outros componentes desse tecido. À medida que tudo isso vai sendo formado, esses componentes já vão sendo organizados de maneira a formar um novo tecido praticamente igual ao tecido que foi perdido.

E sabe por que é importante lavar o machucado? Porque você lembra que eu falei que são as nossas células de defesa que estimulam a formação do novo tecido? Então, se o machucado estiver cheio de sujeira e de microorganismos, nossas células de defesa estarão muito ocupadas tentando combatê-los e não vão conseguir produzir as substâncias importantes para reconstrução do tecido. E aí o machucado vai demorar muito mais para sarar.”

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

Rápidas

Danilo Boaventura

Danilo Boaventura

É a seção que publica informações exclusivas, de bastidores sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Dinheiro Nosso

Rodolfo Torres

Rodolfo Torres

É a seção que publica informações exclusivas, de economia sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Deniza Zucchetti

Deniza Zucchetti

É professora por vocação, quase RI, escritora por amor nas horas vagas e mãe em período integral

Bruno Rodrigues Ferreira

Bruno Rodrigues Ferreira

É jornalista, psicólogo e especialista em Tecnologia e Educação e Gestão em Saúde