Maior parque aquático do Brasil está sendo construído na Grande Goiânia

Conhecida por seus polos industriais, seus grandes condomínios e shoppings, referência no agronegócio e capital do sertanejo, faltava a Goiânia ser também a grande vitrine do lazer, uma das grandes carências dos goianienses. Os principais pontos turísticos de Goiás estão localizados a mais de 150 km de distância da capital.

Para atender essa lacuna, a Companhia de Negócios lançará em novembro, o Dream Park, o primeiro parque aquático conceitual da região metropolitana de Goiânia, um projeto de lazer internacional que trará praia de areia com piscina de ondas, brinquedos aquáticos de baixa, média e alta adrenalina, o maior rio lento da América Latina e espaço para shows.

O projeto com 109 mil m² será o maior do Brasil, superando o cearense Beach Park e o goiano Hot Park, e ficará em Hidrolândia, somente a 20 minutos da capital. Só o complexo do parque terá 57 mil metros quadrados de área construída. No total, serão investidos R$ 75 milhões para a implantação do parque, cujas obras já iniciaram. A capacidade será de atender a sete mil visitantes ao dia, 1,5 milhão ao ano.

“A proposta é levar uma completa experiência sensorial aos visitantes e, para tanto, estamos investindo em tematizações inspiradas no Cirque du Soleil e nos parques de Orlando”, diz Bruno Tavares, diretor administrativo do Dream Park. Ele conta que a ideia do projeto nasceu há cerca de dez anos e há três vem sendo planejado. “Visitamos parques em todo o mundo e pesquisamos as melhores referências para trazer um projeto de lazer internacional para os goianos.”

O Dream Park certamente mudará o perfil do turismo na região metropolitana, que atualmente gira em torno dos negócios, de acordo com dados do Instituto de Pesquisas Turísticas de Goiás (IPtur).

“Naturalmente o parque também atrairá visitantes de outros estados, fortalecendo ainda mais a nossa economia”, diz o presidente da Companhia de Negócios, Tavares.

A ideia inicial é atender à demanda local, estimular que os próprios goianienses e goianos frequentem o parque.

“Nesse sentido, criamos passaportes vitalícios em diversas modalidades para atender diferentes perfis: os familiares que podem ter agregados (babá, sobrinho, amigo etc.) e, uma novidade no mercado, o Double – para duas pessoas. Essas opções serão ofertadas em quantidade limitada no lançamento e trazem uma outra vantagem, o direito hereditário. Nesse sentido, serão também um investimento”, diz Bruno Tavares.

O projeto também conta com a participação do economista Vinicius Andrade, especialista em gestão comercial de grandes parques como o Beach Park de Fortaleza e o Fantasy Acqua Club, em São Paulo, que tinha como sócios Gugu Liberato e Beto Carrero.

Projeto

Assinado pelo arquiteto Ricardo Evangelista, o projeto será implantado em três fases, sendo que a primeira já está em construção com previsão de entrega para dezembro de 2017.

O parque oferecerá áreas com atrações planejadas para faixas de idades específicas, como o complexo infantil para crianças de 2 a 6 anos. “Serão quase seis mil metros quadrados só para este público mirim, a maior estrutura personalizada do país desenvolvida com exclusividade para o Dream Park. Contará com monitores e recreadores num ambiente cercado de piscinas, toboáguas, brinquedos interativos, parque seco e baby care”, destaca a diretora de marketing do Dream Park, Alice Junqueira.

Na área para crianças de 6 a 12 anos, o parque trará o Half Dream, o primeiro escorregador infantil do mundo no formato de asa delta que permite movimentos de sobe e desce para depois entrar por uma pista curva até a descida na piscina.

Para os aventureiros, foi criado um espaço radical com um simulador de surf, slide com boias coletivas e toboáguas. São mais de 11 mil metros quadrados com os brinquedos mais radicais. “Uma piscina com deck molhado, bar aquático e pergolado compõem este espaço e foi idealizada especialmente para os acompanhantes dos aventureiros que querem apenas observar a diversão”, diz Alice.

O Dream Park terá ainda uma enseada com piscina de ondas de 3.200 m², praia com 12 mil m² e falésias artificiais. A piscina de boas vindas será aquecida, terá ofurôs e um mini palco para receber pocket shows. O rio lento contará com várias prainhas de acesso, e túnel tematizado.

Para quem optar por mais tranquilidade, o empreendimento contará com um redário envolvido por espelhos d’água e vegetação natural. Outra atração será voltada para quem deseja um ambiente mais privativo: área vip com bangalôs equipados com TV e frigobar, ofurôs particulares, atendimento e serviços exclusivos de gastronomia.

O parque terá ainda estacionamento monitorado com mais de 1390 vagas, bicicletário, praça de alimentação, mirante, e restaurante com píer sobre o Rio Lento.

A previsão é que, até o final de 2018, o Dream Park esteja totalmente concluído. Durante a construção do parque serão gerados 350 empregos diretos e indiretos. Em funcionamento, serão cerca de 700 postos de trabalho.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

loading...