Mais de 30 médicos não se apresentam e são colocados no final da fila pela Prefeitura

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Decretos da chefia do Executivo Municipal de Anápolis, publicados no dia 13 de outubro, mostram a dificuldade da Prefeitura de Anápolis em conseguir contratar médicos por concurso público e, ao mesmo tempo, o desinteresse desses profissionais em assumir um cargo efetivo no município.

Ao todo, 33 médicos (17 clínicos gerais, 01 urologista, 05 cirurgia geral, 03 ortopedistas, 02 ginecologista e obstetra, 01 neurologista, 01 pediatra e 03 psiquiatras) convocados recentemente pela Secretaria de Gestão e Recursos Humanos não se somarão ao sistema municipal de saúde porque não apresentaram documentação no prazo estipulado ou não apareceram para trabalhar.

Todos esses profissionais fazem falta e prolongam ainda mais as filas de espera dos pacientes que precisam de uma simples consulta com especialista. O salário inicial que eles receberiam é superior ao que muitas outras prefeituras de igual porte pagam por seus profissionais.

Em Anápolis, médicos plantonistas e ambulatoriais recebem de R$ 3.497,83 a 4.258,22 por uma carga horário, no caso dos especialistas, que não passam de 30h semanais.

Para não perder a possibilidade de ainda poder contratá-los, a Prefeitura de Anápolis jogou 30 deles para o final da lista de convocação.

Procurada pela reportagem do Portal 6 para falar sobre o assunto, a secretária de Gestão e Recursos Humanos, Marta Sabbag, não retornou contato.

A relação de exonerações e atos de nomeação sem efeito pode ser conferida no Diário Oficial.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

loading...