Portal 6

Se você vê uma injustiça acontecer e não faz nada, você tem problema

Fico impressionada com a perversidade que algumas pessoas manifestam e com a cara que ela vem. Muitos sentem “dificuldade” em viver civilizadamente em sociedade e perderam completamente o senso do ridículo se entregando a uma existência sem empatia e escrúpulos.

Dia desses assisti um vídeo que me chocou, visto a atitude bestial de uma moça que agredia covardemente outra de sua escola, pelo simples fato dela ser bonita, estudiosa e reservada.

O que se passa na cabeça de alguém ao ponto de sentir orgulho em fazer um inocente sofrer, sujeita-lo à humilhação e imputá-lo uma injustiça tão absurda diante de todos que ali estavam? Pessoa maldosa que chega chegando, com toda a insolência de ser o causador do espancamento alheio!

Diante da cena o coração da gente se rasga de dor, perplexidade e grita por justiça.

Ai dessa geração perversa, seu próprio veneno o fará definhar!

Ai dessa geração que acumula algazarras ao ver o outro ser humilhado covardemente, seu choro será mais amargo que o fel!

Ai dessa geração que vê o outro sofrer o dano, mas não socorre!

Ai dessa geração omissa, que se cala, que zomba enquanto o outro experimenta o inferno!

Ai dessa geração monstrificada, sem amor a si mesmo, sem amor à vida, sem amor ao próximo, que escolheu o caminho da tragédia pessoal!

Ai dessa geração de fanfarrões, que ao invés de estudar e investir em si mesmo como gente, escolheram a miserabilidade como finalidade de vida!

Ai dessa geração amalucada que distorce tudo, o certo é errado e o errado é o certo!

Ai dessa geração que idolatra o caos, está entregue a si mesmo!

Ai dessa geração do desamor, cada semente plantada infalivelmente será colhida!

Ai dessa geração frustrada consigo mesmo com suas pulsões que o levam a agredir inocentes, a vida os farão saco de pancada!

Ai dessa geração que despreza valores e princípios, a idiotice será sua única gratificação!

Ai dessa geração que não conhece uma enxada, com tanto à disposição e a tudo sobeja, nada aproveitará!

Ai dessa geração que não persevera no bem, que é influenciável pelo mal!

Ai dessa geração que tem tesão pela maldade, que faz do choro do outro sua maior alegria e exultação!

Ai dessa geração que não sabe o que é festejar, pois se a festa tira a paz e destrói a integridade do outro, não é festa, é tortura!

Ai dessa geração que escolhe o espancamento ao próximo ao invés de uma mudança de mente, o brilho do outro sempre te ofuscará e deixará evidente sua inveja e despeito!

Ai dessa geração que tudo o que consegue fazer “bem” é mal, e não se liga em rever seus conceitos!

Geração de cegos, que jura que vê, a sabedoria não o abordará pelo caminho! Cada um será julgado por aquilo que diz enxergar, mas não pratica.

Geração que sabe realizar, mas não se dispõe! Geração que pode colocar em prática o bem, mas não o faz! Geração que pode estender a mão, mas ao contrário, a recolhe! Geração que chama de justiça e verdade aquilo que é simplesmente obsessão pela indiferença! Cada um dará conta de sua maldade seja contra que for!

Os gritos de todos injustiçados que foram ecoados na existência são ouvidos por Deus – Ele tudo vê, escuta o choro e recolhe as lágrimas de todos que são afligidos, que foram alvos da maldade e omissão que são praticadas todos os dias passivamente.

O dia da justiça para os perversos chegará e será do tamanho da propositada maldade praticada, será a completa consequência de tudo o que for semeado, virá com o endereço certinho do dono da plantação!

Que nossos sentidos sejam abertos, que os cegos passem a enxergar, que quem anda segundo “os ideais” desse mundo seja alvo da conversão, que mentes cauterizadas sejam desbloqueadas de toda alienação e pulsões, que toda omissão seja transformada em zelo, pois a morte da alma consiste no beijo ao fanatismo, na maldade, na perversão e na inveja homicida.

Deniza Zucchetti é professora por vocação, quase Relações Internacionais, escritora por amor nas horas vagas e mãe de dois lindos filhos em período integral. Escreve toda semana.

Quer comentar?

Comentários