Não se engane! Quem ganha a vida mentindo um dia vai perdê-la de verdade…

Todos os dias somos colocados à prova em relação ao conceito da mentira. Existem aquelas que falamos por exemplo quando alguém nos pergunta sobre seu novo corte de cabelo e dizemos estar lindo, mas na nossa opinião, nem tanto; mas não falamos a verdade crua para não magoar o outro. O que seria pior, uma verdade explícita na qual machucaria as emoções de alguém ou a mentira para preservá-la? Se por um lado achamos que a mentira pode ser “benigna” (o que particularmente não acredito), por outro lado dizer a verdade rasgada com a intenção de acabar com o outro também causa grandes prejuízos. A verdade com equilíbrio e com a intenção de regar o coração com amor seria a melhor escolha.

Alguns utilizam a mentira para se sentir aceito e incluído, fazendo parecer ser o que não é justamente pela insegurança em mostrar sua verdadeira face e ser rejeitado. Construir a vida tendo base a mentira mais cedo ou mais tarde terá o castelo que ergueu na areia destruído, pois a mentira falsifica a realidade, seja ela intencionalmente, mecanicamente e inconsciente. Ninguém consegue viver em dois mundos sem prejuízo, as emoções e o psicológico ficam em frangalhos.

Pessoas que fizeram de suas vidas uma “estorinha”, sabe que nada ali é verdade, e encarar seu próprio engano construído para satisfazer seu ego e preservar sua identidade não será nada fácil – a única realidade que se sujeita é aquela que ela cria, mesmo que a intenção não seja má e nem a de prejudicar alguém – se não se voltar para a realidade à luz da verdade, sua existência será uma falsificação em que se habitua a inventar para sobreviver ao invés de encarar a vida e tudo o que vier.

Sua verdadeira “carinha” sempre será sua melhor versão, a pessoa mais importante que precisa aceita-lo como é, é você, não importa a opinião alheia, assumir sua realidade sem falsificações lhe fará experimentar a liberdade e a sensação de pertencer a si mesmo e não ao achismo dos outros.  Muitos se iludem crendo que podem contra a verdade, mas nada resiste a ela, nem mesmo depois do fim de todas as coisas, pois ela ainda estará lá, plena.

O problema da mentira é aquela carregada de perversidade e maldade intencional contra alguém, acredito que essa é a pior e mais destrutiva. A mentira enganosa que deseja vantagens em cima de outro e distorce a realidade dele é triste. A mentira perversa leva todos aqueles que a praticam em ruína, destruindo-o e diluindo seu ser. Utilizam-se da mentira para se beneficiar, difamar seus desafetos, dizendo algo sobre certa pessoa, dando uma visão diferente ao ouvinte de quem ela é, enganando-o e distorcendo o caráter alheio. Muitos fabricam “versões” dos outros baseados em enganos, meias-verdades, mentiras, para que se sintam melhores diante deles, de fato a verdade de ser daquele que é o alvo de suas mentiras o intimida e expõe o que de pior o habita. Com certeza muitos já presenciaram e escutaram mentiras sobre outras pessoas que sequer conheciam e sem perceber se pegaram “fermentadas” pelos álibis dos mentirosos.

Mentirosos corriqueiros e perversos com o intuito de destruir alguém com sua língua enganosa, a covardia o domina, pois não suporta viver sem perverter e distorcer a verdade. Mesmo as “mentirinhas” que aparentam inofensivas, aqueles comentários mesquinhos e cínicos acabam monstrificando os que dela se alimentam e os que apenas se satisfaz ambicionando a maldade. Tanta gente que não suporta ouvir alguém ser elogiado que logo solta uma “mentirinha” para distorcer a visão dos desavisados; até o outro conseguir se explicar e desmentir, muito estrago já foi feito, sua integridade já foi posta em dúvida, seu caráter já foi reprovado até por quem não o conhece.

Se comprometer com a mentira é perigoso, pois ela enlaça aquele que a toma pela mão e o faz rastejar num caminho de trevas, nesse atalho atua a operação do erro, manifesta as “maravilhas calculadas da falsidade para enganar” com o único propósito de esconder a si mesmo e enganar as pessoas no reconhecimento da realidade, agindo deliberadamente com o princípio do mal, onde a consciência cauteriza e se caracteriza por um impulso moral distorcido e pervertido por uma mente tomada pela mentira que não tem cuidado por si.

Aqueles que fazem da mentira sua finalidade de vida foi seduzida por ela e por uma fantasia que promete fidelidade, lealdade e vida longa. Configura uma ilusão na consciência de que esse é o melhor e mais seguro caminho, tornando as más intenções em puras caricaturas coloridas do “conhecimento do bem e do mal”, engendrando aquele que a carrega à imaginação de estar manipulando tudo ao redor e a tapeação de se sentir acima de todos, quando dela é manipulado.

A mentira flerta com o coração envolvendo-o na penumbra, não se deixando ser discernida, se comportando deliberadamente perversa e insolente, trazendo consigo a falsidade e perambulando pelos ouvidos que se dispõe a ouvi-la. A mentira se embriaga com discursos maldosos, apanhando e atraindo com lábios lisonjeiros; todo infeliz que dela se faz companheiro se torna como o cervo quando cai na armadilha do caçador, quanto mais se mexe para se soltar, mais enlaçado fica.

Não extravie o que você tem de mais precioso que é sua alma pelo caminho da mentira. Não te percas em seus trilhos, ela deu cabo de muitos que julgavam ser mais forte que ela e por ela foram engolidos, sua escada é sempre para baixo e desce para os átrios da morte e do auto-engano existencial.

Deniza Zucchetti é professora por vocação, quase Relações Internacionais, escritora por amor nas horas vagas e mãe de dois lindos filhos em período integral. Escreve toda semana.

Quer comentar?

Comentários