A Páscoa é muito mais que reunir a família para comer neste domingo

Quando compreendemos e absorvemos o que Jesus ensinou, nosso entendimento se abre a medida que avançamos ao alvo de que Deus quer que nos tornemos parecidos com Cristo, mediante a assimilação das verdades do Pai se fazendo verdades intrínsecas em nosso ser. Assim experimentaremos uma Vida singular.

Jesus Ressurreto é o nosso êxodo da escravidão do pecado e da morte para a Vida de liberdade em Graça Nele. As últimas instruções de Jesus após sua morte e ressurreição foi para que observássemos tudo quanto Ele ordenou e ensinou, e acrescentou: “eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!”, afirmou Cristo para qualquer hora e momento da vida. Se vivemos Nele então passamos da morte pra vida. Vivemos por Ele e para Ele. Mortos para o pecado e vivos para Cristo.

Com a consciência renovada, morrer com Jesus e aceitar as implicações de Sua morte, traz como consequência o Viver segundo Ele e a rejeição de uma vida segundo os caprichos de uma existência ególatra e cheia de si mesmo, abrindo mão da religiosidade estética, da distorção da verdade, do comércio e passamos a considerar somente o que diz respeito a Jesus tendo Sua caminhada aqui na terra como referência.

Cristo abre nosso olhar com Seus ensinamentos e tangência nossa visão despertando em nós o desejo de ser amor e amar sem medo, de ser sal e salgar a terra, de ser luz e iluminar onde houver trevas, ser perdoador e perdoar setenta vezes sete, ser misericórdia e se enxergar na fraqueza do outro, ser alegria a cada encontro fraterno entre irmãos, buscar a justiça onde não há, não se divertir no despojo dos mais fracos, sofrer as tribulações com coração contente na satisfação do conhecimento do que é divino, chorar com os que choram, confessar nossas dores, solicitando ajuda quando se está farto das angústias, crer contra a esperança mesmo em meio à ansiedade e ambiguidades.

A Vida com Jesus nos ensina a dar graças no partilhar do pão testemunhando nessa existência a alegria da libertação, crendo que somos parte da família, co-herdeiros com Cristo mesmo diante do silêncio de Deus quando desejamos explicações para nossos questionamentos existenciais, sendo gratos em toda e qualquer circunstância, de fato Nele não há cédulas de dívidas, apenas a exultação e simplicidade da Vida!

Sim, viveremos dia após dia buscando ser essencialmente humano fazendo parte da história e vivendo justificados na presença de Deus nesse mundo. Vivificados, transformados, humanizados.

Deniza Zucchetti é professora por vocação, quase Relações Internacionais, escritora por amor nas horas vagas e mãe de dois lindos filhos em período integral. Escreve toda semana.

Quer comentar?

Comentários