Portal 6

Realizando sonho, suíço vai sair da Europa de helicóptero para aterrizar em Anápolis

René Schmidlin, de 69 anos, virá de Neushatel para pousar em Anápolis. (Foto: Arquivo Pessoal)

Viagem deve durar de 20 a 30 dias, passará por 26 países e ajudará projeto social da cidade

Uma aventura inusitada está para começar na Suíça para terminar em Goiás. René Schmidlin, de 69 anos, é um grande empresário do ramo de relojoaria, mas apaixonado por aviação, decidiu sair do pequeno país europeu de helicóptero na próxima quinta-feira (15) para viajar entre 20 e 30 dias, passando por 26 países. O destino? Anápolis.

Em conversa com a reportagem do Portal 6, a filha dele, Perla Menezes Schmidlin, psicóloga de 31 anos, contou que a aventura já estava sendo planejada há algum tempo e representa um sonho para René.

“Meu pai vem trabalhando com a possibilidade dessa viagem há três anos e de um ano e meio para cá começou a dar vida ao projeto. Ele vai vir com o instrutor da fábrica do Robson 44, Paulo Campiche. É a realização de um sonho. Ele fez duas cirurgias do coração, quase morreu e quer mostrar que mesmo com dificuldades todos podem realizar seus sonhos”, disse.

René Schmidlin e Paulo Campiche, em Neushatel, na Suíça. (Foto: Arquivo Pessoal)

Perguntada sobre os riscos da viagem, Perla explicou que foi realizado um estudo minucioso para garantir a segurança dos dois viajantes.

“É um grande desafio para todos nós e principalmente para eles porque o helicóptero é um modelo para fazer passeio de até quatro horas de voo. A viagem tem muitos riscos, mas durante a preparação eles estudaram bastante e estão munidos de todos os equipamentos possíveis para emergências. Durante todo o trajeto vai ter uma equipe preparada para cuidar de possíveis imprevistos e os dois terão vários pontos de apoio para essas equipes levantarem alimentos, combustível e medicação, se necessário”, acrescentou.

Ao sair de Neushatel, na Suíça, René e Paulo contarão com pontos de apoio na Inglaterra, Islândia, Groenlândia, Canadá, Estados Unidos, Cuba, Jamaica, Panamá, Colômbia, Guiana e Suriname. Veja no mapa:

Por quê Anápolis? Perguntamos à Perla. Segundo ela, a família tem origem anapolina e mantêm aqui o projeto Dona Gercina, criado para ajudar pessoas em condições precárias.

Projeto Dona Gercina

Criado em novembro de 2014, o projeto foi pensado para homenagear a matriarca da família, Dona Gercina, que lutava contra um câncer.

A entidade é sem fins lucrativos e tem Perla Menezes Schmidlin como presidente. O foco principal do projeto é ajudar pessoas doentes, orfanatos e famílias em situação de pobreza.

Crianças e voluntários do Projeto Dona Gersina. (Foto: Divulgação)

Várias ações já foram realizadas e mais de 250 crianças já receberam ajuda com medicamentos, cadeiras de roda, apoio psicológico e financeiro.

O projeto também oferece tratamento para crianças com câncer, próteses auditivas, tratamento dentários e em datas comemorativas é feito a doação de alimentos.

Para conhecer melhor a iniciativa, visite a página do Projeto Dona Gersina no Facebook.

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.