Portal 6

Advogada quer proibir exploração de animais no transporte de cargas

Ver cavalo morrendo de exaustão no Centro da cidade foi a gota d’água para Claudia Gontijo criar abaixo-assinado pedindo que a Câmara discuta o problema

“Infelizmente, é comum vermos animais como cavalos sendo utilizados para frete em carroças e charretes, sem qualquer cuidado e descanso, alguns até feridos. Isso precisa acabar”, assim cobra a presidente da Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB de Anápolis Claudia Gontijo, que criou um abaixo-assinado para conseguir a proibição e exploração de animais em transportes de cargas.

Em conversa com a reportagem do Portal 6, Claudia Gontijo disse que há muito tempo se sente incomodada ao ver os bichos serem submetidos a essas atividades e vivendo em condições precárias. Porém, uma cena foi decisiva para ela tomar essa atitude.

“O que motivou-me a fazer o abaixo-assinado foi um fato ocorrido há pouco tempo aqui em Anápolis. Entre o camelódromo e o Supermercado Floresta tinha um cavalo agonizando no chão de exaustão, bem no centro da cidade”, relata.

Claudia encaminhará as assinaturas à Câmara Municipal de Anápolis. O objetivo dela é sensibilizar os parlamentares para a criação e aprovação de um projeto de Lei que impeça essa prática.

A advogada também quer que os vereadores conheçam o projeto “cavalo de lata”, já foi implantando em cidades como Fortaleza e que oferecem aos proprietários um novo meio para se locomover.

“O projeto do cavalo de lata é uma boa alternativa, já que o primeiro questionamento que surge das pessoas quando falamos de proibir a exploração desses animais é ‘como ficarão os carroceiros que dependem deles para se manter'”, lembra.

Criado na plataforma change.org, o abaixo-assinado já alcançou mais de 270 apoiadores. Para ser entregue à Câmara são necessárias aproximadamente 500 assinaturas.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook