Portal 6

Maus tratos a cavalos em Anápolis precisa de resposta urgente da Câmara Municipal

Mais um caso de animal sendo arrastado por carro foi flagrado na cidade

Repercute nas redes sociais desde o último sábado (02) o vídeo de um cavalo sendo puxado em Anápolis por um carro na BR-153. A triste cena acabou parando na televisão e foi exibida na manhã desta segunda-feira (04) no Bom Dia Goiás, da TV Anhanguera.

Se identificado, o motorista poderá ser responsabilizado por maus tratos, além de pagar multa e perder três pontos da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Porém, não se pode mais admitir que animais continuem sendo explorados e tenham suas vidas colocadas em risco como se objetos fossem.

A população consciente tenta fazer sua parte, como a advogada Claudia Gontijo, que criou um abaixo-assinado online para pedir que os vereadores criassem um Projeto de Lei proibindo a exploração animal. Relembre.

No último dia 08 de novembro, uma semana após a publicação do Portal 6, a vereadora Thais Souza (PSL) apresentava um Projeto de Lei na Câmara Municipal propondo a proibição do uso da força de animais bovídeos, equídeos e caprinos sob pena de multa em caso de descumprimento. Mais que a proibição, o texto traz como alternativa que trabalhadores que atualmente usam a força animal para o sustento de casa recebam em troca os chamados “cavalos de lata”. Esses triciclos com carroceria, além de baratos, se mostram mais seguros para quem os usam e não poluem o meio ambiente.

Por enquanto, o projeto tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, antes de ir ao Plenário, terá ainda de passar pelas comissões de Meio Ambiente e Finanças.

Ou seja, em poucos meses, a Câmara Municipal terá a oportunidade de mostrar que está no século XXI ao não permitir que equinos continuem morrendo de exaustão ou de violência e abandono nas ruas da cidade.

Tomarão a decisão certa? O Portal 6 acompanhará com diligente vigilância essa matéria.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook





Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.