Portal 6

O guia completo para não ser enganado e aproveitar a Black Friday em Anápolis

(Foto: Daniel Carvalho)

Comerciantes e fornecedores estão sendo monitorados e consumidores da cidade tem à disposição diversos canais de denúncias

Fazer compras sempre exige cuidados e em grandes promoções como a Black Friday a atenção precisa ser ainda mais redobrada.

Em Anápolis, a campanha internacional está sendo acompanhada de perto pelo Procon – que monitora comerciantes e fornecedores.

O principal foco durante a véspera da Black Friday está sendo certificar se os descontos divulgados são reais, ou se houve elevação prévia dos preços, dando a falsa impressão de promoção.

Robson Torres, responsável pela pasta, explica que os produtos mais procurados são celulares, tênis e televisões. Para garantir um bom negócio, ele orienta que o consumidor pesquise os preços e também evitem compras desnecessárias.

“Comprar em lojas e de fornecedores já consolidados, evitar sites duvidosos e preços muito reduzidos, que podem indicar uma fraude, são práticas que recomendamos para evitar situações desagradáveis”, explica.

Já os lojistas devem se atentar às normas de publicidade e ao aumento considerável de vendas, colocando à disposição dos clientes quantidade suficiente de atendentes. Os preços precisam estar legíveis e todos devem ter um exemplar do Código de Defesa do Consumidor em lugar de fácil acesso.

“Isso demonstra que o estabelecimento tem compromisso e respeito ao cliente”, garante.

(Foto: Daniel Carvalho)

Em 2017, houve aumento considerável de compras realizadas via dispositivo móvel, atingindo quase 30% de todo o volume de vendas. Apesar da facilidade, é preciso ter cuidado, já que existem sites que escondem armadilhas e falsificações.

“Muitos adquiriram produtos, mas nunca os receberam. Ainda verificamos que vários consumidores registram reclamações em sites específicos afirmando que ao longo das 24 horas de compra, as lojas ofereceram nada mais que descontos similares aos de ‘saldões’ de fim de ano”, alerta o secretário, afirmando que quem esperava por descontos acima de 50% acabou se frustrando.

Por ocorrências dessa natureza, a equipe de fiscalização está verificando se as lojas físicas e virtuais estão trabalhando de acordo com o que é exigido pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), como por exemplo, deixar o preço total do produto com o tamanho superior ao das parcelas correspondentes.

Atendentes do órgão também foram deslocados para o Procon Móvel, que fica estacionado na Praça Bom Jesus, no Centro, para orientar e receber reclamações de quem está fazendo compras na região onde há grande número de estabelecimentos comerciais.

Além dos guichês específicos do órgão na Vila Jussara, Jundiaí, Anashopping e Vila Jaiara, denúncias de irregularidades podem ainda serem encaminhadas para os telefones (62) 99672-9298 ou 151.

Quer comentar?

Comentários






Nosso Twitter

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.