Portal 6

Denúncias de suposto assédio em Colégio Militar de Anápolis viralizam na web

Professor de Educação Física se defende, mas é metralhado por alunos da instituição

Os comentários na última publicação no Instagram do Colégio Estadual da Polícia Militar de Goiás (CEPMG) Gabriel Issa, localizado na Vila Nossa Senhora da Abadia, em Anápolis, remetem à uma campanha criada pelos estudantes da unidade: #QuemOmiteConsente.

E a história por trás dessa hashtag começou no último final de semana por outra rede social. Lá no Snapchat, que voltou a ser febre no Brasil após lançar filtros de bebê, uma aluna que cursa o 1º ano no turno matutino alega ter sido assediada por um professor de Educação Física do CEPMG Gabriel Issa.

Entre as mensagens enviadas pela conta que se apresenta como sendo do docente, diversos adjetivos são endereçados ao corpo da adolescente, de apenas 15 anos.

“Imaginação vai longe”, classificou o perfil que logo depois faz convite para um encontro.

“Mas o que você quer exatamente?”, indagou a garota.

(Captura: Instagram)

Estudantes ouvidas pelo Portal 6 contam que todo o diálogo foi levado nesta segunda-feira (13) até as coordenações disciplinar e pedagógica do CEPMG Gabriel Issa, mas que nenhuma providência concreta teria sido tomada.

“Está todo mundo indignado porque infelizmente não é a primeira vez que a gente alerta o colégio sobre as atitudes desse professor”, desabafou uma aluna que preferiu não ser identificada. Ela e outras garotas são membros de um grupo no WhatsApp, criado para compartilhar situações supostamente semelhantes ocorridas nas aulas do professor.

Percebendo a movimentação e proporção que o caso está ganhando, o educador utilizou o Twitter para se defender.

“Quero apenas esclarecer a todos que não tenho Snapchat! Tive essa rede social a (sic) 3 ou 2 anos atrás e não sei nem login nem senha”, escreveu. “Peço a todos que antes de julgarem investiguem se é verdadeiro”, desafiou.

(Captura/Twitter)

O Portal 6 tentou contato com a direção do CEPMG Gabriel Issa, mas não obteve sucesso até a publicação desta reportagem. O site, no entanto, apurou que o major Edmar Pereira de Araújo, comandante da instituição, já está a par do caso e se reunirá nesta terça-feira (14) com todos os envolvidos.

Apoio

Luciana Sinzimbra, advogada que ganhou notoriedade nacional após denunciar as agressões de Victor Junqueira, piloto e filho do ex-prefeito de Anápolis, Eurípedes Junqueira, gravou um vídeo em solidariedade às alunas do CEPMG Gabriel Issa.

“Não recuem, não se deixem abater, não parem porque essa é uma luta que vocês não fazem por vocês simplesmente e sim por várias mulheres, várias meninas, várias pessoas que estão passando por isso”, disse.

“Sejam fortes, vamos nos unir que a gente dá conta de acabar com isso”, completou. Assista:

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.