PublicidadePublicidade

“Médico matador de esquerdistas”, anapolino abre o jogo sobre a polêmica

Homem, que precisou excluir a conta no Facebook, revelou o porquê de ter feito comentários que viralizaram

Da Redação -

O nome de Jimmyson Barbosa, de 38 anos, foi um dos mais procurados no Google e nas redes sociais nos últimos dias. O motivo? a captura de um comentário feito por ele no Facebook.

Na reprodução de tela, Jimmyson Barbosa escreveu que já teria matado vários esquerdistas. Um detalhe, no entanto, chama atenção na imagem divulgada: o traje de médico utilizado por ele.

Anapolino, Jimmyson Barbosa foi entrevistado pelo jornal O Popular e confirmou a autenticidade dos comentários, justificando que os fez no Facebook em tom de sarcasmo.

PublicidadePublicidade

“O rapaz me viu de jaleco, mencionou que eu era médico e perguntou quantas pessoas eu já tinha matado. E eu fiquei nervoso com aquela insinuação e falei: ‘já matei um monte mesmo, e se for de esquerda eu mato mesmo’”, explicou.

“E eu ainda pus risadinha no final. O cara veio perguntando quantos eu já tinha matado, e eu, no mesmo tom de sarcasmo, respondi a ele”, emendou.

Jimmyson Barbosa, estudante Medicina na Universidade Privada del Este (UPE), no Paraguai, afirmou ainda que jamais se apresentou como médico. “Não existiu isso”, enfatizou.

Comentário fez estudante ficar conhecido como o “médico matador de esquerdistas”. (Foto: Reprodução)

Apesar de ter viralizado somente nos últimos dias, os comentários de Jimmyson Barbosa na rede social de Mark Zuckerberg foram feitos há cerca de um mês. Ele, que precisou excluir sua conta, diz estar arrependido.

“Foi no nervosismo. Eu não queria dizer isso e não tenho coragem de fazer isso. Sou uma pessoa de bem, temente a Deus”, descreveu.

Para o futuro Jimmyson Barbosa revelou que planeja se formar no Paraguai e retornar ao Brasil para a exercer a profissão. A região Norte é a almejada por ele, que trabalhava com o pai em Anápolis antes de embarcar para o país vizinho para cursar Medicina.

“Se uma pessoa chegar num hospital não vou perguntar pra ela pra qual time ela torce, não vou perguntar se vota no PT. Não existe isso. Todo mundo será tratado do mesmo jeito. Estou estudando pra salvar vidas”, pontou dizendo ainda que vive bem financeiramente e que escolheu ser médico para ajudar as pessoas.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade