Portal 6

Médicos alertaram que homem deveria tomar cuidado ao dirigir pelas ruas de Anápolis

(Foto: Jonathan Cavalcante/Rádio São Francisco FM)

“Não me lembro de nada”, disse o motorista que em alta velocidade e na contramão passou por cima e matou farmacêutico

Os efeitos colaterais de remédios para controlarem a Epilepsia podem ter levado Milton Rodrigues dos Santos, de 54 anos, a provocar o grave acidente que parou a Avenida Brasil Sul, em frente à Prefeitura de Anápolis, durante meados da tarde e início de noite desta quinta-feira (05).

O motorista, segundo Manoel Vanderic, titular da Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito (DICT), afirmou fazer o uso contínuo de dois medicamentos e já havia sido orientado e advertido pelos médicos a tomar cuidado enquanto estivesse dirigindo pelas ruas da cidade.

“Ele ainda está muito confuso”, explicou o delegado em entrevista ao radialista Marcelo Santos. Milton Rodrigues dos Santos terá de responder por homicídio culposo qualificado e lesão corporal grave. Os crimes têm pena que somam mais de oito anos. Por essa razão, não coube à Polícia Civil (PC) arbitrar fiança e ele deverá ser encaminhado para o Centro de Inserção Social Monsenhor Luiz Ilc.

Local do acidente foi isolado e parou o Centro de Anápolis. (Foto: Jonathan Cavalcante/Rádio São Francisco FM)

Sem memória

Conduzindo um Chevrolet Monza, Milton Rodrigues dos Santos descia pela Avenida Brasil Sul, sentido Centro, em alta velocidade e na contramão. Próximo da Prefeitura de Anápolis, ele invadiu a calçada, atropelou um jovem que estava em um patinete e depois atingiu um motociclista.

Murilo Pedatella, de 28 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu antes mesmo da chegada do socorro. O piloto da motocicleta, que aguardava a esposa ser atendida no Centro Administrativo, teve fraturas expostas e foi encaminhado em estado estável até o Hospital Estadual de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (HUANA).

Autor do acidente, Milton Rodrigues dos Santos chegou a ficar preso nas ferragens, mas por não ter se ferido recebeu alta do Hospital Municipal Jamel Cecílio (HMJC). Teste de alcoolemia comprovou que ele não havia ingerido bebidas alcoólicas. O homem também passou por uma série de exames no Instituto Médico Legal (IML), porém os resultados ainda não foram divulgados.

Milton Rodrigues dos Santos, motorista que provocou o acidente. (Foto: Reprodução)

“Não me lembro de nada”, disse o motorista que, por enquanto, ficará recolhido na cadeia pública de Anápolis. Caberá, no entanto, ao Poder Judiciário decidir se ele responderá o processo em liberdade ou não.

“Ele pode ter tido uma crise convulsiva ou estava com a memória, concentração ou coordenação motora afetada por conta da ingestão dos medicamentos que faz uso”, apontou o delegado Vanderic, lembrando que o caso ainda está em investigação e essa é apenas uma hipótese.

Luto 

Vítima fatal, Murilo Pedatella era farmacêutico e havia se casado no último mês de julho. A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) receberia homenagens na noite desta quinta-feira (05) pelos 50 anos de serviços prestados na cidade e em todo o estado de Goiás, mas a sessão foi cancelada pela Câmara Municipal de Anápolis.

Em nota, a entidade informou que a decisão foi tomada em respeito ao luto de uma das coordenadoras da APAE, Flaviane Pedatella, mãe de Murilo Pedatella. Ela seria uma das cinquenta personalidades congratuladas com honra ao mérito por ter contribuído ao longo desse meio século para o engrandecimento da APAE. Por enquanto, o evento não foi remarcado.

Murilo Pedatella, vítima fatal do acidente. (Foto: Reprodução)

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.