PublicidadePublicidade

Após ataques a Roberto na TV, juíza eleitoral pune coligação de Gomide

Além de não poder mais veicular as peças consideradas inverídicas pela magistrada, o petista deve perder cerca de 20 minutos de propaganda eleitoral que serão usados como direito de resposta pelo adversário

Rafaella Soares Rafaella Soares -

A juíza Mônice de Souza Balian Zaccariotti, da 3ª Zona Eleitoral, decidiu penalizar o candidato Antônio Gomide e a coligação A Força do Trabalho (PT, PCdoB e PMB), após uma denúncia por irregularidades contidas nas propagandas da campanha dele exibidas na televisão.

Na primeira, a peça do petista fala sobre o DAIA Municipal e afirma que Roberto Naves teria tentado
“trocar uma área pública nobre da escola agrícola por outra menos valorizada, para tentar atender uma promessa não cumprida que inclusive anuncia em seu novo plano de governo”.

Já na segunda propaganda, alega que o candidato pepista, na posição de prefeito, retirou milhões em dinheiro do Instituto de Seguridade Social dos Servidores de Anápolis (ISSA), dissuadindo as garantias dos aposentados.

PublicidadePublicidade

Sobre a acusação de troca de terreno, a juíza determinou que parte de veiculação não corresponde à verdade, uma vez que uma audiência de conciliação sobre o caso acontecerá no próximo dia 1º de dezembro.

Por isso, a determinação é de que a equipe de Antônio Gomide retire as acusações do ar e ofereça ao concorrente o direito de se defender, utilizando do mesmo tempo que a propaganda teve para atacá-lo.

A reportagem do Portal 6 apurou que esse tempo é de aproximadamente 20 minutos.

Quanto ao ISSA, a magistrada apenas determinou que essa peça saia do ar imediatamente e não seja mais veiculada pela campanha de Gomide.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade