PublicidadePublicidade

LGBT’s da Câmara de Anápolis sentiram desconforto com fala de bispo da Igreja Católica

Avatar Danilo Boaventura -

Nem o recente surto de contaminação do novo coronavírus na Câmara Municipal está impedindo a Casa de receber convidados para falarem na tribuna.

Porém, nesta quarta-feira (24), o discurso de um, em especial, deixou servidores LGBT’s constrangidos e até mesmo indignados.

Bispo auxiliar da Diocese de Anápolis, Dom Dilmo Franco esteve por lá para promover o tema de 2021 da tradicional campanha da fraternidade da CNBB.

PublicidadePublicidade

Num dado momento, o religioso disse que homossexuais frequentam a Igreja Católica, mas que a instituição não está aberta para batizados e casamentos a essa comunidade. O motivo? Por ser pecado, na visão eclesiástica.

O fato de nenhum vereador rebater a fala do bispo também deixou muitos decepcionados.

A Associação de Gays Transgeneros e Lesbicas de Anápolis (AGTLA) emitiu nota pública repudiando as palavras do religioso e ressaltando que “pessoas com orientação homossexual e heterossexual são igualmente filhos de Deus e dependentes de sua infinita misericórdia”. Confira:

A AGTLA Associação de Gays Transgeneros e Lesbicas de Anápolis Titulo de Utilidade Publica Estaduais e Municipais Leis nº 18.121. De 1º de Agosto de 2013 e 3.400 de 20 de Outubro de 2009, vem a publico esclarece alguns tópicos, fazendo jus, aos trabalhos da ONG, que é a minimização do preconceito e discriminação contra as pessoas com orientação homossexual na cidade de Anápolis-GO, resultando numa convivência de paz e respeito ás diferenças. Em resposta ao Bispo auxiliar da Diocese de Anápolis Dom Dilmo Franco que usou a tribuna da Câmara Municipal de Anápolis para dizer que os homossexuais freqüentam a igreja Católica, mas que a instituição não esta aberta para batizados e casamentos a essa comunidade por ser pecado, a ONG AGTLA vem a publico dizer que a liberdade religiosa não pode ser usada para dividir e nem fomentar a homofobia e lesbofobia, causa de, maus tratos, exclusão social das pessoas com orientação homossexual no mundo e na cidade de Anápolis. Torpeza, ato de praticar o que e torpe, entendemos que a homossexualidade não e considerada torpe e sim uma orientação sexual que poderá ser vivida com dignidade e qualidade de vida, Que pessoas com orientação homossexual e heterossexual são igualmente filhos de Deus e dependentes de sua infinita MISERICORDIA. A Constituição brasileira assegura o direito de culto religioso, mas assegura também a independência ao Congresso soberano e dá poderes, é inaceitável a interferência de lideres religioso, já que estão agindo como tal, desrespeitando as leis, e cometendo crimes contra a população LGBTQI, gostaria de expressar como e do conhecimento de todos e todas, que em nossos eventos não ocorre PEDOFILIA, da qual e sabido de varias ocorrências no seu reinado perfeito, e que não adianta não casar e fica utilizando coroinhas e outro como objeto sexual.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade