PublicidadePublicidade

Xingou a mãe de “velha vagabunda” e foi condenado em tempo recorde por juiz de Goiás

Somadas, as penas que o homem recebeu chegam a quase um ano e meio. Ele também está proibido de se aproximar da vítima

Da Redação Da Redação -
Samuel João Martins (em pé) é juiz da 1ª Vara Cível, Criminal e Infância e Juventude de Iporá. (Foto: Divulgação)

Demorou apenas 21 dias para que Amiraldo Ferreira Rosa, de 60 anos, morador de Amorinópolis, no interior de Goiás, fosse preso e recebesse sentença condenatória por violência familiar contra a própria mãe, de 78 anos.

Conforme o processo, no último 07 de abril, por volta das 21h30, o homem, que também vivia com a mãe, chegou em casa bêbado e em uma discussão a xingou de “velha enjoada, nojenta, desgraçada e vagabunda”.

Revoltado, um irmão de Amiraldo quis intervir na situação e acabou sendo ameaçado com uma faca. O bêbado também aproveitou que estava com a arma branca para falar mais atrocidades para a mãe.

PublicidadePublicidade

“Você não faz nada pra mim, eu vou te matar, sua desgraça”.

A Polícia Militar foi acionada e levou todos para a delegacia. Lá, Amiraldo foi enquadrado com base na Lei Maria da Penha e ficou preso em flagrante.

Logo o inquérito foi remetido à Justiça e o Ministério Público pediu a condenação.

Realizada por vídeoconferência, a audiência de instrução e julgamento foi conduzida pelo juiz Samuel João Martins, da comarca de Iporá.

Além de proibir Amiraldo de se aproximar da mãe, o magistrado o condenou por injúria qualificada contra a idosa e ameaças ao irmão.

Somadas, as penas, que devem ser cumpridas inicialmente em regime aberto, somam quase um ano e meio.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade