PublicidadePublicidade

Anápolis terá dois atletas paralímpicos disputando medalhas em Tóquio

Carlos Alberto Gomes Soares e Ercileide Laurinda são exemplos de superação na vida e no esporte

Lucas Tavares Lucas Tavares -
Carlos Alberto e Ercileide Laurinda (Foto: Arquivo Pessoal)

Falta apenas uma semana para o início dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 e Anápolis terá dois representantes.

No ciclismo, Carlos Alberto Gomes Soares, de 27 anos, vai disputar sua primeira paralímpiada.

Anapolino de nascimento, ele foi diagnosticado aos 6 anos com paraparesia espástica, doença que o atrapalha na locomoção.

PublicidadePublicidade

Em 2016, teve seu primeiro contato com o esporte paralímpico. Já em 2018, foi convocado para a seleção brasileira para disputar o Campeonato Mundial de Paraciclismo de Pista, no Rio de Janeiro.

Atualmente, o paratleta treina na cidade de Santos (SP), no Grêmio Recreativo Cultural e Esportivo Memorial.

Ercileide Laurinda, de 46 anos, é atleta de bocha paralímpica desde 2003. Nascida em Anápolis, ela treina em Uberaba (MG), na Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba (Adefu).

Há mais de quinze anos a paratleta coleciona bons resultados, ajudando o esporte paralímpico brasileiro construir um legado por onde passa.

Um de seus principais resultados foi a medalha de prata nos pares nos Jogos Parapan-Americanos Lima 2019.

Ercileide tem distrofia muscular de cintura desde os 13 anos e perdeu gradativamente a força dos membros superiores e inferiores. Mas isso não foi um empecilho para a paratleta que encontrou no esporte uma paixão.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade