PublicidadePublicidade

Para sobreviver durante parto, mulher com síndrome rara precisou receber mais de 530 bolsas de sangue

“Não sou uma gata de sete vidas, sou uma onça. Lutei pela minha vida e meu filho lutou pela vida dele", afirmou a mais nova mamãe

Da Redação -
(Foto: Divulgação / Hélder Ribeiro)

Uma história rara e de muita superação está ganhando as redes sociais nesta quinta-feira (16). Se trata de uma auxiliar administrativa, de 35 anos, que precisou receber 531 bolsas de sangue durante um parto para sobreviver.

O caso aconteceu há dois meses, mas somente agora é que se tornou público. Thais Cristina de Sousa, moradora de Belém, no Pará, estava grávida de sete meses quando precisou passar por uma cesariana de emergência.

De acordo com o G1, a mulher sofre de uma síndrome rara e grave conhecida como Púrpura Trombocitopênica Trombótica (PTT), que forma coágulos de sangue pelo corpo e pode bloquear o fluxo sanguíneo para os principais órgãos.

E foi justamente por causa da enfermidade que ela precisou de uma transfusão tão grande, maior inclusive que a média feita no período de um mês na Santa Casa de Misericórdia do Pará, onde a paciente ficou internada.

“Era uma situação clínica delicada. Havia risco de perda gestacional, risco de morte para a gestante e risco de agudização com sequelas para ambos”, explicou o médico Daniel Lima, ao G1.

Depois de ganhar o pequeno Saulo, que precisou de cuidados por ser prematuro, Thais teve de ser levada para a UTI e ainda enfrentou várias outras complicações, como hipertensão , infecção e uma nova cirurgia para controlar uma hemorragia interna.

Ao todo, a auxiliar administrativa ficou 45 dias no hospital, sendo 30 em estado gravíssimo. Neste período, ainda precisou tomar quatro doses de um medicamente que chega a custa R$ 12 mil cada.

Apesar de todas as dificuldades, ela conseguiu se recuperar e pôde voltar para casa para aproveitar o filhinho.

“Não sou uma gata de sete vidas, sou uma onça. Lutei pela minha vida e meu filho lutou pela vida dele. Tivemos muita ajuda para vencer. Obrigada, Deus. Obrigada a quem doa sangue”, disse.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade