Jovem é chamado de “neguinho” por atendente do Rápido em Anápolis

Quando a Polícia Militar chegou no local, ela disse que falou "com carinho". Polícia Civil vai investigar o caso

Pedro Hara -
Polícia Militar foi chamada no Rápido e levou as partes para Delegacia-Geral. (Foto: Reprodução)

Atualizado às 22h19, com correção de informação – Um suposto crime de injúria racial cometido por uma funcionária do Rápido do Anashopping vai ser investigado pela Polícia Civil.

A vítima, um homem de 26 anos, denunciou ter sido chamado de “neguinho” durante um atendimento na unidade. Ao ser referido de tal maneira, o rapaz se sentiu ofendido.

A Polícia Militar (PM) foi acionada no local. A atendente confirmou que chamou o rapaz pelo termo, mas “com carinho”.

PublicidadePublicidade

Para confrontar as diferentes versões contadas pelos envolvidos, a PM encaminhou as partes para à Delegacia- Geral para que explicações fossem dadas.

Caso seja confirmada a injúria racial por parte da atendente, a pena estabelecida pode ser de seis meses a um ano de prisão ou multa.

Nota da Redação: Inicialmente, o Portal 6 informou que o episódio de injúria racial teria ocorrido no Vapt Vupt do Anashopping. Na verdade, o fato se deu no Rápido, que fica no mesmo centro comercial.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.