Casal quebra guichês da Gol no aeroporto de Guarulhos após voo ser cancelado

Eles estavam em um voo para Belo Horizonte, que precisou retornar, segundo a companhia, por conta de condições meteorológicas ruins

Folhapress -
As imagens, reproduzidas nas redes sociais, mostram quando o casal, aos gritos, exige que a companhia disponibilize um hotel para a família. (Foto: Reprodução)

Um casal se exaltou com funcionários da Gol na noite de segunda-feira (1º) e depredou guichês do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo. Eles estavam em um voo para Belo Horizonte, que precisou retornar, segundo a companhia, por conta de condições meteorológicas ruins.

Acompanhados de um bebê de cinco meses, eles se revoltaram com funcionários da empresária aérea, exigindo que eles providenciassem hotel e alimentação, para que os passageiros passassem a noite até conseguirem viajar no dia seguinte.

As imagens, que foram reproduzidas nas redes sociais, mostram quando a passageira, aos gritos, exige que a companhia disponibilize um hotel para a família. Ela começa a dar tapas na placa de proteção do guichê.

PublicidadePublicidade

Em desespero, a mulher grita que irá chamar a polícia e passa a bater com mais força na placa de proteção. “Ele só tem cinco meses, ele não tem culpa”, dizia, apontando para o filho.

Em seguida, o homem segura um dos pedestais que organizam as filas e quebra a placa de proteção de outro guichê. Ele começa a bater no balcão, enquanto os funcionários se afastam. Foram quebradas as placas de acrílico do balcão de atendimento e uma impressora.

“Resolve! O meu menino não vai pagar por isso. Eu quero alguém resolvendo isso aqui agora”, disse o marido, enquanto segurava o pedestal.

“Eu demorei 16 anos para ter o meu filho, gastei R$ 50 mil. Se esse menino adoecer, eu juro que mato um por um. Coloca o meu filho em um hotel”, gritou a mulher, para os atendentes da companhia, que não divulgou os nomes dos envolvidos.
Segundo a Gol, ninguém se feriu.

Em casos de voos atrasados ou cancelados, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) obriga a companhia aérea, mesmo quando ela não é responsável pelo ocorrido, a fornecer comunicação (acesso à internet e telefone) a partir de uma hora de atraso.

Quando o atraso passa de duas horas, as empresas são obrigadas a oferecer alimentação; a partir de quatros horas, o passageiro tem direito a receber acomodação ou hospedagem.

Em nota, a Gol reforçou que após a decolagem, o voo G3-1324 (Guarulhos – Confins) precisou retornar por conta das condições meteorológicas adversas em Confins, na Grande Belo Horizonte.

A companhia diz que ofereceu o suporte necessário a todos os clientes e acomodou os passageiros para seguir viagem em voos programados para esta terça-feira (02).

De acordo com a GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, a Polícia Militar foi acionada e os passageiros envolvidos foram conduzidos para a delegacia da Polícia Civil, para registro da ocorrência.

Veja a seguir:

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.