Veja a trajetória de Iris Rezende, de líder estudantil a político mais longevo da história de Goiás

Ex-prefeito e ex-governador faleceu na madrugada desta terça-feira (09), no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo

Pedro Hara -
Íris Rezende dedicou mais de 60 anos à vida pública. (Foto: Acervo Familiar)

O ex-governador e prefeito de Goiânia Iris Rezende, morreu na madrugada desta terça-feira (09), aos 87 anos, vítima de complicações decorrentes de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) Hemorrágico.

O quadro de saúde de Iris se agravou no último sábado (06), quando ele precisou ser intubado pela equipe de médicos do Hospital Vila Nova Star de São Paulo (SP).

Iris foi transferido para o Vila Nova Star no dia 31 de agosto e era acompanhado pela médica anapolina Ludhmila Hajjar. Fortes dores de cabeça, que começaram 25 dias antes, em 06 de agosto, levaram nesta data a realização de cirurgia no Hospital Neurológico de Goiânia por conta de uma hemorragia na cabeça e o início da batalha pela vida.

PublicidadePublicidade

Casado com sua xará Iris de Araújo, a Dona Iris, o emedebista deixa três filhos: Cristiano, Ana Paula e Adriana.

Já se sabe que o velório ocorrerá no Palácio das Esmeraldas, ainda no período da manhã. O sepultamento será às 17h, no cemitério Santana.

Trajetória

Iris Rezende enquanto prefeito de Goiânia em 1966. (Foto: Acervo/Jornal Opção)

Iris é considerado o principal nome da história política de Goiás. Nasceu em 1933 na cidade de Cristianópolis, município localizado a 90 quilômetros de Goiânia. Filho de um agricultor e de uma dona de casa, se mudou para capital aos 16 anos e fez história.

Na primeira eleição que participou, em 1958, já era líder estudantil e foi eleito para o cargo de vereador pelo PTB. Enquanto legislava, se graduou em direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG), em 1960. Dois anos depois, candidatou-se a deputado estadual pelo PSD e ganhou com o maior número de votos na ocasião. 

Já em 1965, um ano após o golpe militar, Iris foi eleito prefeito de Goiânia pelo MDB. Em sua primeira gestão, lançou aquela que seria a marca de todos as suas administrações: os mutirões. Ainda à frente capital, teve o mandato cassado por conta do AI-5 e ficou proibido de se candidatar por 10 anos.

Governador, ministro e senador

Iris Rezende em sessão no Senado Federal em 2002. (Foto: Reprodução/Agência Senado)

Após recuperar os direitos políticos em 1979, Iris se candidatou ao governo de Goiás em 1982. Na primeira eleição para o cargo após 17 anos, saiu vencedor e, após passagem pelos ministério da Agricultura e Justiça entre 1986 e 1989, voltou a disputar o Governo de Goiás e foi eleito novamente em 1990.

Já em 1994, ganhou uma cadeira no Senado Federal e tornou-se presidente da Comissão de Constituição e Justiça ao final de 1995. Em 1997, na busca pela Presidência da Casa, foi barrado por Antônio Carlos Magalhães e no ano seguinte se candidatou novamente ao Governo de Goiás.

Disputando com o tucano Marconi Perillo, sofreu a primeira derrota em uma disputa para o Executivo. Por conta do revés, voltou ao Senado para concluir o mandato de oito anos. 

Prefeito de novo e encerramento da vida pública

Iris Rezende

Iris Rezende durante comemoração da vitória em 2016. (Foto: Reprodução/Facebook)

Iris voltou a disputar a chefia do Paço Municipal em  2004 e derrotou o petista Pedro Wilson, que buscava a reeleição. A volta ficou marcada pelas mais de 200 praças que foram entregues e a reforma de outras centenas. Por conta dos bons índices de aprovação, foi reeleito em 2008.

Mas abdicou do cargo e concorreu novamente ao Governo de Goiás em 2010 e 2014, sendo que nas duas vezes acabou perdendo para Marconi. Dois anos depois, chegou a anunciar em 2016 que sairia da vida pública. No entanto, voltou atrás e se candidatou novamente. Eleito, fez sua última administração e preferiu não disputar em 2020. 

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.