Em Medeiros Neto, no interior da BA, mais de 2 mil ficam desabrigados após enchente

Na última terça-feira (7), os rios que cortam o município de cerca de 23 mil habitantes transbordaram, atingindo comércios e moradias e gerando cortes de energia

Folhapress -
(Foto: Reprodução/Instagram)

Anna Satie, de SP – As fortes chuvas que atingem a Bahia deixaram Medeiros Neto, no sul do estado (788 km de Salvador), quase inteiramente debaixo d’água. De acordo com estimativas da Secretaria de Obras e Infraestrutura, há cerca de 2 mil desabrigados na cidade. Não há mortos ou feridos até o momento.

“É uma situação que nunca vi”, disse o secretário da pasta, Hugo Barros. Imagens mostram o centro da cidade quase submerso. “Quase 50% da cidade foi alagada. O comércio está praticamente acabado”, relatou Arlete Costa, do setor jurídico da Prefeitura.

Na última terça-feira (7), os rios que cortam o município de cerca de 23 mil habitantes transbordaram, atingindo comércios e moradias e gerando cortes de energia. Segundo Barros, o nível da água começou a diminuir neste sábado (11). Aos poucos, a energia está sendo reestabelecida.

Ainda há um bairro e um povoado isolados, com acesso apenas por lanchas. Barros informou que as famílias desalojadas foram realocadas, a maioria na casa de familiares e amigos, outros em colégios e repartições públicas do município.

De acordo com Arlete Costa, a redução do nível da água, apesar de representar um alívio, está gerando outros problemas. Construções começaram a desabar com a descida da água -é o caso de sete casas, que já foram abaixo. “Ainda não se sabe todos os estragos ainda”, afirmou.

Segundo a funcionária da Prefeitura, há o receio de que uma área da cidade que fica próxima de um morro sofra com desabamentos.

A prefeitura está recebendo doações de alimentos, água e medicamentos. Também foi divulgada uma conta bancária e uma chave Pix para contribuições.

CICLONE EXTRATROPICAL

Um ciclone extratropical formado na costa Sul do Brasil ajudou a provocar fortes chuvas no sul da Bahia. Vinte e quatro cidades, inclusive Medeiros Neto, decretaram estado de calamidade.

Na vizinha Teixeira de Freitas, três pessoas morreram em um deslizamento de terra -duas eram crianças com menos de 10 anos.

De acordo com a plataforma de previsão climática Climatempo, a chuva começa a diminuir na região a partir de hoje, mas o oeste do estado ainda fica bastante carregado. Só amanhã a chuva diminuirá, de forma geral, no estado.

“Assim que a água baixar, vamos fazer um levantamento detalhado de tudo que precisa ser reconstruído: estradas, pontes e casas que foram destruídas. Mas só dá para fazer esse levantamento depois que a água baixar, porque você precisa ver o estrago, de fato, e a solução técnica que vai ser dada em cada ponto onde se perdeu aquela infraestrutura”, disse o governador Rui Costa.

Segundo a Defesa Civil, as prefeituras ainda estão levantando o número de desabrigados e desalojados. Há muita dificuldade, devido às inundações, de chegar a alguns municípios.

Helicópteros partiram de Salvador e da Base Avançada de Barreiras para as áreas onde a situação é mais crítica. Escavadeiras e outros equipamentos também foram deslocados para os trechos impactados pela chuva na BA-284 e da BR-489.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.