Ataque a tiros na Califórnia deixa ao menos 6 mortos e 10 feridos

Autoridades ainda procuram os responsáveis

Folhapress -
Ataque a tiros na Califórnia deixa ao menos 6 mortos e 10 feridos (Foto: Reprodução/ Twitter)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um ataque a tiros em uma movimentada região de Sacramento, capital do estado americano da Califórnia, deixou ao menos seis mortos e dez feridos na madrugada deste domingo (3).

A sequência de tiros ocorreu por volta das 2h no horário local (6h no horário de Brasília) no centro da cidade, região de bares e vida noturna movimentada, perto de uma arena de shows e eventos. O local do crime fica também a poucos quarteirões da sede do Legislativo do estado.

As autoridades ainda procuram os responsáveis pelo ataque, disse a chefe de polícia de Sacramento, Kathy Lester.

“Estamos pedindo ajuda da população para nos ajudar a identificar os suspeitos e fornecer qualquer informação que possa nos ajudar a resolver isso”, disse

Ainda não há detalhes sobre idades e identidades das vítimas. “Os números de mortos e feridos são difíceis de compreender. Aguardamos mais informações sobre exatamente o que aconteceu neste trágico incidente”, escreveu o prefeito democrata Darrell Steinberg no Twitter. “O aumento da violência armada é o flagelo de nossa cidade, estado e nação, e eu apoio todas as ações para reduzi-la”, afirmou.

Ao lado do cordão de isolamento da polícia, pessoas se juntavam pela manhã em busca de notícias sobre familiares. Entre elas estava Pamela Harris, que disse que sua filha telefonou às 2h15 para avisar que seu outro filho, Sergio, havia sido baleado e morto do lado de fora de uma boate.

“Ela disse que ele estava morto. Eu simplesmente desmaiei”, disse Harris, que ainda aguardava a confirmação da polícia. “Não posso sair daqui agora até saber o que está acontecendo. Não vou a lugar nenhum”, afirmou.

O ativista Berry Accius disse que correu para o local logo após o tiroteio. “A primeira coisa que vi foi uma jovem coberta pelo próprio sangue e pelo sangue de outras pessoas. Ela estava no telefone dizendo ‘Minha irmã está morta! Minha irmã está morta!'”, disse o homem, que trabalha em um programa voltado para jovens com foco na prevenção da violência armada.

Há pouco mais de um mês, em outro crime que chocou a cidade, um homem matou seus três filhos e uma quarta pessoa antes de tirar a própria vida.

Este é o mais recente tiroteio em massa nos Estados Unidos, onde as armas de fogo provocam quase 40 mim mortes por ano, incluindo suicídios, de acordo com o site Gun Violence Archive.

Leis que ampliam o acesso às armas e o direito de porte dificultam as tentativas de reduzir o número de armas em circulação, apesar das pesquisas que mostram que a maioria da população defende controles mais rígidos.

Um total de 75% dos homicídios nos EUA são cometidos com armas de fogo. E o número de vendas de armas de fogo continua em alta. Em 2020 foram vendidas mais de 23 milhões, um recorde, e outras 20 milhões no ano passado, de acordo com os dados compilados pelo site Small Arms Analytics.

Os dados não incluem as chamadas “armas fantasmas”, que são vendidas desmontadas, não possuem números de série e são muito utilizadas por criminosos.

Em junho de 2021, 30% dos adultos americanos afirmaram possuir pelo menos uma arma, de acordo com uma pesquisa do Pew Research Center.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.