‘Bíblia dos pecadores’ que incentiva adultério é achada na Nova Zelândia

Responsável pela edição foi multado e perdeu sua licença profissional

Folhapress -
‘Bíblia dos pecadores’ que incentiva adultério é achada na Nova Zelândia (Foto: Flickr/ Ilustração)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma universidade da Nova Zelândia anunciou ter encontrado um raríssimo exemplar da Bíblia que ficou famoso por conter um dos erros mais graves da história editorial.

Lançada na Inglaterra em 1631, a “Bíblia perversa” ou “Bíblia dos pecadores”, como ficou conhecida, omitiu a palavra “não” de um dos Dez Mandamentos, que acabou saindo como “Cometerás adultério”.

Responsável pela edição, Robert Barker, impressor do rei inglês Charles 1º, foi multado e perdeu sua licença profissional.

“Por que ele omitiu o importantíssimo ‘não’ permanece uma questão de debate. Foi uma piada? Foi sabotagem de um rival? O que é certo é que Barker foi multado em uma quantia astronômica, e muito poucas cópias de sua chamada “Bíblia Perversa” sobreviveram”, diz um texto da universidade de Canterbury na cidade neozelandesa de Christchurch, responsável pela descoberta do livro.

Segundo o jornal britânico The Guardian, foram impressas mil cópias da Bíblia com o erro, descoberto apenas um ano depois, e quase todas foram destruídas -cerca de 20 continuaram em circulação.

Newsletter Lá fora Receba no seu email uma seleção semanal com o que de mais importante aconteceu no mundo; aberta para não assinantes. * Os outros exemplares conhecidos foram encontrados todos no Hemisfério Norte, especialmente no Reino Unido. Em novembro de 2015, uma cópia dessa edição da Bíblia foi a leilão na Inglaterra por dezenas de milhares de libras.

Especialista em conservação de papéis e livros, a historiadora neozelandesa Sarah Askey foi responsável pela restauração da “Bíblia perversa” de Christchurch, que também foi digitalizada.

Nesta quarta-feira (4), Askey e outros colegas da universidade de Canterbury falarão sobre a história do exemplar.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.