Em Anápolis, Caiado pede ajuda de empresários para tirar Enel de Goiás

Governador criticou Fieg, que ele diz ser a única favorável à permanência da distribuidora

Rafael Tomazeti -
Governador Ronaldo Caiado voltou a criticar Enel. (Foto: Secom Governo de Goiás)

O governador Ronaldo Caiado pediu ajuda de empresários de Anápolis nesta segunda-feira (27) para pressionar pela saída da Enel de Goiás.

Durante evento de assinatura de ordem de serviço para obra do canal de drenagem do Aeroporto de Anápolis, Caiado se dirigiu ao presidente da Associação das Empresas do Daia (Assedaia), Everaldo Fiatkoski, e fez um apelo.

“Vocês [empresários] podiam me ajudar dentro da Fieg [Federação das Indústrias do Estado de Goiás]. O presidente da Fieg [Sandro Mabel] é o único que quer manter a Enel em Goiás. Estou lutando fortemente em Brasília pela caducidade da Enel, para colocarmos outra empresa em Goiás que dê conta de fazer a distribuição de energia elétrica”, disse.

O governador afirmou ainda que está entregando área e infraestrutura necessária para a implantação de indústrias, mas novas indústrias só virão se houver garantia de qualidade energética.

“Estou entregando água, terrenos, mas não tenho energia elétrica. Como vou atender a necessidade de emprego em Goiás?”, questionou. “O único gargalo que faz Goiás não crescer é a falta de energia. Todo lugar que você chega está no gerador”, completou.

Caiado ainda disse que, caso a Enel permaneça, o estado será penalizado economicamente com uma debandada de indústrias.

“Vamos perder muitas empresas. Estamos segurando a duras custas, pelo prestígio do governo, as empresas. Elas estão acreditando na gente, que virá uma nova distribuidora para Goiás e aí sim poderemos garantir a infraestrutura”, destacou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade