Plataformas ‘picantes’ viram opções de renda extra para jovens goianos

Para aumentar faturamento mensal, fotos e vídeo sensuais são novo método para ajudar nas despesas

Gabriella Pinheiro -
Carlos Kayque e Clara Rosania. (Foto: Reprodução/ Redes Sociais/ Montagem Portal 6)

Uma forma exótica para garantir uma ‘grana’ extra no final do mês virou uma prática comum entre os jovens goianos. 

Com apenas o próprio corpo e uma câmera de celular, os aspirantes conseguem obter um alto faturamento postando fotos e vídeos sensuais em plataformas de conteúdo ‘picante’.

Sites como Privacy, OnlyFans e FanCentro são alguns dos mais utilizados entre eles. Por lá, é possível acessar um conteúdo ‘quente’ pagando um valor mensal que é estipulado pelo criador do produto.  

Uma das pessoas que embarcou na ideia foi a modelo Clara Rosania, de 21 anos. Nascida em Goiânia, a jovem entrou na plataforma em maio de 2021 no intuito de obter uma renda extra enquanto estava morando no exterior. 

Ao Portal 6, ela conta que ao mudar para Los Angeles, nos Estados Unidos, passou por algumas dificuldades financeiras o que fez com que conhecesse o segmento. 

“Eu coloquei na minha cabeça que eu queria ter dinheiro. Depois que fui para Los Angeles, fiquei desempregada. Foi aí que alguns amigos me sugeriram o OnlyFans e, coincidentemente, comecei a morar com uma menina que trabalhava com isso e tirava 10 mil dólares por mês”, explicou. 

A partir dos relatos e propostas de pessoas próximas, Clara acabou entrando de cabeça na aventura. Contudo, o que era para ser algo temporário, acabou virando um trabalho fixo. 

De acordo com a modelo, atualmente, ela chega a ter uma renda média mensal de US$ 2 mil por mês, o que equivale a aproximadamente R$ 10,5 mil.

“No início era uma forma de renda extra, mas acabou virando um trabalho fixo e hoje é uma das minhas maiores fontes de renda”, confessa. 

“Para mim, atualmente, está compensando bastante. Ainda mais tendo em vista que a plataforma tem os ganhos em dólares e, convertendo para real fica, muito bom”, complementa. 

Outro caso similar ao de Clara, é o do estudante de jornalismo Carlos Kayque, de 23 anos. Com poucos meses na plataforma, o rapaz já consegue obter um faturamento aproximado de R$ 2 à 4 mil, apenas com os conteúdos postados na rede.

“Durante a pandemia, as coisas ficaram bem difíceis e foi uma forma de renda extra que eu encontrei”, revela ao Portal 6.

De acordo com ele, a iniciativa para ingressar no site surgiu por meio de relatos de alguns usuários sobre a experiência na área.

“Eu comecei a usar a plataforma em 2022. Eu vi algumas postagens sobre o site no Twitter, em 2021, e decidi começar a investir como um complemento”, conta.

Carlos explica que, por meio da web, oferece uma assinatura mensal no valor de R$ 29,90 oferecendo vídeos íntimos, fotos e até gravações tendo relações sexuais com outras pessoas.

“É uma ajuda de custo e, além disso, faz com que o meu trabalho neste ramo seja divulgado. O resultado foi excelente”, confessa.

Outro caso, é o do estudante de medicina, de 20 anos, que preferiu não se identificar. Apesar de ter ingressado há apenas dois meses no OnlyFans, ele já conseguiu adquirir uma quantia atrativa durante o período. 

“Entrei na plataforma recentemente, há aproximadamente dois meses e fiz isso porque sempre tinha alguns seguidores que me pediam. Em um mês só, eu faturei cerca de R$ 1.200”, afirma. 

Já sobre os valores do serviço, ele afirma que costuma cobrar R$ 29,99 para um acesso mensal aos conteúdos e R$ 85,47 para um plano trimestral. Caso o interessado queira uma opção semestral, o valor é de R$ 161,95. 

“Além de ser uma prática que compensa, é relativamente fácil manter a constância na plataforma e não demanda muito tempo”, diz. 

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade