Procon Goiás revela diferença assustadora de preços em produtos de pesca e camping; veja lista

Pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 23 de junho e levou em consideração 16 estabelecimentos

Gabriella Pinheiro -
Rio Araguaia é um dos principais pontos turísticos de Goiás (Foto: Secretaria do Meio Ambiente de Goiás)

Com a chegada do mês de julho, a temporada de férias no Rio Araguaia volta com tudo após dois anos suspensa devido a pandemia da Covid-19. 

É nesse momento em que os amantes da pesca e acampamento começam a dar uma vasculhada nas ‘tralhas’ antes de ir às compras.

E este ano, em especial, os itens além de valores mais elevados estão, no geral, até 74,3%  mais caros que 2021. Além disso, há uma diferença gritante de preços entre um estabelecimento e outro. Isso é o que revela uma pesquisa divulgada pelo Procon-GO.

Ao todo, 16 estabelecimentos da capital foram consultados entre os dias 20 e 23 de junho. 

O levantamento considerou 115 mercadorias idênticas, ou seja, que possuam a mesma marca, tamanho e modelo. 

Dentre as opções, o produto que apresentou a maior variação foi o anzol. Na loja Centro Pesca, localizada na Rua 09, no Setor Central, o valor é de R$ 7,00.

Já na Casa Caiçara, no Setor Central, o mesmo item é encontrado pelo valor de R$ 21,00 – o que representa uma diferença de 200%.

Outro produto que também apresentou esse distanciamento foi a lanterna. No estabelecimento A Perdigueira, na Avenida Anhanguera, no Setor Campinas, a ferramenta foi encontrada por R$ 55,00.

Em contrapartida, no Centro Pesca o preço estabelecido é de R$ 81,60. Para conferir a lista completa, basta acessar o site do Procon.

Dicas aos consumidores

Para economizar durante o período, o Procon fornece algumas dicas que podem aliviar no orçamento dos turistas.

Uma delas, é realizar orçamentos e fracionar a compra entre eles. Dessa forma, é possível avaliar qual é o item mais barato dentre as opções.

Outra dica, é ficar atento as promoções, uma vez que, durante a época, descontos em alguns produtos são praticados por algumas lojas.

Apesar dos valores atraentes, é recomendável evitar compras de itens de camelôs e ambulantes, já que não emitem nota fiscal.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.