Após 16 anos, Lucélia Rodrigues retorna em frente ao prédio onde foi cruelmente torturada

Crime chocou o país em 2008 devido ao nível de perversidade da agressora; vítima teve reviravolta impressionante

Gabriella Licia Gabriella Licia -
Lucélia Rodrigues tinha 12 anos quando foi resgatada do cárcere privado. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O caso de Lucélia Rodrigues completa 16 anos em 2024 e voltou a ter bastante repercussão após a jovem, de 28 anos, publicar um vídeo no Instagram mostrando a fachada do prédio onde todos os crimes aconteceram.

Atualmente casada e mãe de dois filhos, a goiana utiliza o Instagram (onde acumula mais de 175 mil seguidores) para dar o testemunho de vida, além de manifestar a fé, visitando igrejas e outras instituições.

No vídeo publicado no perfil, Lucélia mostra a parte externa do local onde foi torturada por dois anos.

“Foi aqui que vivi os piores dias da minha vida. Nesta sacada, várias vezes eu olhei para ela e senti o desejo de pular”, relembrou.

A jovem tinha apenas 12 anos quando foi resgatada por guarnições da Polícia Militar (PM), em Goiânia, no ano de 2008.

Ela estava presa em cárcere privado, bastante machucada, com graves marcas físicas e psicológicas, além da situação deplorável do local.

A autora da sequência desumana de violências foi a empresária Sílvia Calabresi Lima, que teria adotado a vítima ilegalmente, com promessas de conceder um futuro promissor, além de estudos e um lar.

No entanto, a realidade não foi nenhum pouco semelhante a isso.

À época, Lucélia foi encontrada presa a correntes, amordaçada, com as unhas feridas, a língua cortada e extremamente magra.

Além disso, a vítima era submetida a ingerir as fezes do cachorro de Sílvia. A empresária ainda despejava pimenta na boca, olhos e nariz da garota.

A denúncia foi feita por um vizinho. Na ocasião, a funcionária que cuidava da limpeza do apartamento e o esposo da empresária também foram condenados por omissão.

Sílvia recebeu uma pena de quase 15 anos. No entanto, em 2014, a Justiça concedeu o benefício de progressão de pena e ela foi transferida para o regime semiaberto.

Final feliz

A jovem goiana foi adotada por um casal de religiosos, após viver um ano em um abrigo. Com a nova família, Lucélia pôde voltar a ter um lar, apesar dos traumas.

Atualmente casada e com filhos, ela consolidou a carreira como influencer, onde relata os ocorridos e como enfrentou as dificuldades.

Confira!

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Lucélia Rodrigues (@luceliarodriguesoficial)

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Lucélia Rodrigues (@luceliarodriguesoficial)

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade