Pioneiro no Brasil, Senai de Anápolis foi responsável por ajudar no desenvolvimento do Daia e Base Aérea

Unidade, que é a mais antiga do estado, continua sendo referência mesmo 72 anos após inauguração

Davi Galvão Davi Galvão -
SENAI de Anápolis na inauguração (à esquerda) e hoje em dia (à direita). (Foto: Repórter Esso/ Divulgação)

O Parque Ambiental Ipiranga, o Morro da Capuava e a Praça Americano do Brasil – ou também, a “Praça do Avião”. Ao longo dos anos, diversos pontos de Anápolis foram se consolidando como alguns dos mais marcantes da cidade.

Porém, um deles em particular carrega uma grande história e relevância para o município: o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) Roberto Mange.

Inaugurado em 9 de março de 1952 com o nome de Escola Senai GO1, em “uma manhã de domingo ensolarada” – como descrito pelo saudoso noticiário “Repórter Esso” – algo que poucas pessoas sabem é que a unidade foi fundada antes mesmo da criação do Departamento Regional do SENAI de Goiás.

Ou seja, foi em Anápolis onde as primeiras portas do estado se abriram para o aprendizado voltado para a indústria.

Assim, por vários anos, o prédio funcionou como o primeiro – e único – Centro de Formação Profissional da instituição em Goiás.

Para se ter uma ideia, o primeiro SENAI de Goiânia, a Faculdade de Tecnologia SENAI Ítalo Bologna – à época apenas Escola SENAI Ítalo Bologna – foi fundada no dia em 1º de fevereiro de 1968, 16 anos após a irmã anapolina.

Extrato do jornal O Anápolis falando sobre a inauguração do SENAI em Anápolis. (Foto: Arquivo Pessoal/Claudiomir Gonçalves)

O nome “Roberto Mange”, que perdura até hoje, foi uma homenagem ao professor e engenheiro que, à época, era diretor regional do SENAI de São Paulo, a quem ficou jurisdicionada a extensão de Anápolis.

Fachada do prédio, no dia da inauguração. (Foto: Repórter Esso)

Atuando tanto na cidade quanto em 20 municípios do entorno, as instalações foram indispensáveis para capacitar profissionais que pudessem atuar no Distrito Agro Industrial de Anápolis (DAIA) e na Base Aérea, por exemplo.

A partir da década de 90, refletindo as necessidades da cidade, iniciaram-se os cursos técnicos em mecânica industrial, eletrotécnica, segurança do trabalho, eletrônica, química, industrial e telecomunicações, com laboratórios tecnológicos e sofisticados.

Atualmente, a unidade é responsável por formar mais de 15 mil alunos por ano, contribuindo com a competitividade da indústria local e entregando mão de obra qualificada e apta para as demandas do mercado.

O SENAI ainda possui uma forte relação com o desenvolvimento dos polos farmacêuticos e automobilísticos de Anápolis, se consolidando como um dos locais e marcos de maior importância do município.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.