Portal 6

Em 9 dias, chove em SP o esperado para todo o mês de novembro

(Foto: Reprodução)

Passados apenas nove dias de novembro, o acumulado de chuvas na cidade de São Paulo já soma quase o total esperado para os trinta dias do mês. O volume atingiu 117,9 milímetros (mm), o que significa 91% da média prevista que é 129,5 mm, segundo a medição feita pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), órgão da prefeitura de São Paulo.

De acordo com o CGE, áreas de instabilidades vindas do interior provocaram chuvas de intensidade moderada na madrugada de hoje (9) com precipitações mais expressivas na zona sul da capital paulista. Em Parelheiros, no extremo sul, foram registrados 14,8 mm e no Jabaquara, 10,8 mm. Nos bairros São Miguel Paulista e Itaim Paulista, ambos na zona leste, a quantidade de chuva atingiu, respectivamente, 13,4 mm e 11,6 mm. Já na zona oeste, no Butantã, foram 11 mm.

O sol reapareceu na manhã de hoje, mas em alguns períodos escondido entre nuvens. Há previsão de pancadas de chuva no período da tarde. A tendência, segundo o CGE é de que o sol volte a brilhar com mais força a partir de amanhã, com elevação da temperatura, mas com chances de chuva à tarde pelo menos até a próxima quinta-feira (12).

O tempo chuvoso tem contribuído para a recuperação do nível dos reservatórios de água que abastecem a região metropolitana e cidades vizinhas. Dos seis sistemas administrados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) a menor captação entre ontem e hoje, de apenas 3 mm, foi registrada no Sistema Cantareira, que é o mais importante manancial da região.

Apesar disso, o nível do Cantareira manteve-se em alta nos oito primeiros dias do mês e ficou estável, nas últimas 24 horas. Hoje, o Sistema opera com 17,1% de sua capacidade, mesma variação de ontem, mas acima da marca do último dia 1º (16%). Essa medição não leva em consideração o uso do volume morto (água que fica abaixo das comportas).

Levando em consideração o uso do volume morto, o sistema opera com 13,2% da capacidade total. Para atingir a superfície das comportas, o Cantareira precisaria receber mais 119,5 bilhões de litros de água. O volume acumulado de chuva desde o começo de novembro é de 72,5 mm, quase a metade da média esperada para todo o mês (160,4 mm).

Já no Sistema Alto Tietê, o nível está 15,2% com a pluviometria acumulada em 85,2 mm para uma média 128,9 mm. No Guarapiranga, o nível atingiu 85,3%, o acumulado até o momento é 115,8 mm e a média é 123,8 mm. O Alto Cotia opera com 69,5% e acumula 118 mm de água, para uma média de 126,7 mm. No Rio Grande, o nível está em 91,4%, o acumulado em 82 mm para uma média de 139 mm. Por fim, no Sistema Rio Claro, o nível atingiu 58,3% com acumulado de 86 mm e média para novembro de 195,8 mm.

Agência Brasil

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.