Aumento médio da tarifa bancária em Goiás é de 14,14%

Uma das principais receitas dos bancos públicos e privados são as tarifas bancárias. De acordo com levantamento do Procon Goiás, elas estão pesando mais no bolso do correntista. Foram pesquisados os valores cobrados por 19 tarifas consideradas prioritárias disponíveis na tabela geral entregues pelos nove bancos visitados pelo Procon no período de 13 a 18 deste mês.

Comparado com os preços médios praticados no último levantamento realizado pelo Procon, em março de 2015, as tarifas bancárias registraram um aumento médio de 14,14% , em um ano.

No entanto, individualmente, esse aumento foi expressivo em alguns tipos de tarifas. É o caso da tarifa de transferência entre contas na própria instituição, realizado nos TAA – Terminais de Auto Atendimento, cuja elevação chegou a 46,30%. Em 03/2015 a tarifa média era de R$ 0,90 e atualmente está custando R$ 1,32.

Outros aumentos de tarifa

• 39,98% tarifa de fornecimento de cópia de microfilme;
– R$ 5,05 em 03/2015
– R$ 7,07 em 07/2016
• 26,74% tarifa de fornecimento de extrato mensal (TAA);
– R$ 1,92 em 03/2015
– R$ 2,43 em 07/2016
• 33,39% tarifa de saque de conta de depósito e poupança (TAA);
– R$ 1,82 em 03/2015
– R$ 2,43 em 07/2016
• 13,79% tarifa de transferência de DOC/TED (Internet);
– R$ 7,67 em 03/2015
– R$ 8,73 em 07/2016

Variação pode chegar a 344,44%

Quando o correntista ultrapassa a quantidade de serviços contratado em seu pacote, ou quando o limite de gratuidade (serviços essenciais) é ultrapassado, é cobrada a tarifa individual pelo serviço utilizado. E as variações de preços entre os bancos chegam a 344,44%. Essa variação se refere à tarifa de transferência entre contas na própria instituição. O menor preço foi verificado a R$ 0,90 e o maior chegando a R$ 4,00.

Outras variações

266,97% – Tarifa de fornecimento de 2ª via de cartão com função débito;
Menor preço: R$ 5,45
Maior preço: R$ 20,00
• 85,19% – Tarifa de confecção e fornecimento de folhas de cheque;
Menor preço: R$ 1,35
Maior preço: R$ 2,50
• 233,33% – Tarifa de saque de conta de depósito à vista e de poupança (TAA);
Menor preço: R$ 1,80
Maior preço: R$ 6,00
• 214,81% – Tarifa de depósito identificado;
Menor preço: R$ 2,70
Maior preço: R$ 8,50
• 160,87% – Tarifa de fornecimento de extrato mensal (pessoal);
Menor preço: R$ 2,30
Maior preço: R$ 6,00
• 55,84% – Tarifa de transferência por meio de DOC/TED (TAA0;
Menor preço: R$ 7,70
Maior preço: R$ 12,00
A menor variação de preço foi verificada na tarifa da ordem de pagamento, cujo preços variaram de R$ 24,00 a R$ 28,70. Variação de 19,58%

Auto Atendimento

Dentro do banco, pode haver grande diferença de preço da tarifa dependendo do canal de utilização.
No Banco Itaú, por exemplo, a tarifa do serviço de fornecimento de extrato mensal cobrado quando utilizado os Terminais de Auto Atendimento (TAA) custa R$ 2,00, porém, esse mesmo serviço quando for realizado pelo Atendimento Pessoal, terá tarifa de R$ 2,80.

Outro exemplo é a tarifa cobrada pela transferência por meio de DOC/TED. Na Caixa Econômica Federal, quando realizado esse serviço nos TAA, o correntista pagara R$ 7,85 pelo serviço. No entanto, ao utilizar o atendimento pessoal, terá um custo a mais de 87%, tendo que desembolsar o equivalente a R$ 14,70.

A pesquisa está disponível no site www.procon.go.gov.br

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

Rápidas

Danilo Boaventura

Danilo Boaventura

É a seção que publica informações exclusivas, de bastidores sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás

Dinheiro Nosso

Rodolfo Torres

Rodolfo Torres

É a seção que publica informações exclusivas, de economia sobre o que for relevante em Anápolis e Goiás