Juiz proíbe acampamento do MST em frente ao tribunal que vai julgar Lula

Recurso do ex-presidente será julgado em segunda instância no dia 24 de janeiro de 2018

Da Redação -

A justiça federal determinou que os manifestantes que estiverem em Belo Horizonte para aguardar o julgamento do ex-presidente Lula, acampem em um área pré-estabelecida nas imediações do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre.

A decisão partiu do juiz federal Osório Ávila Neto e estabelece um perímetro de segurança ao redor do TRF no dia do julgamento do recurso em segunda instância, marcado para 24 de janeiro de 2018. O magistrado ainda citou que deverá haver também um isolamento para o trânsito nas vias próximas ao prédio.

Na ação pública, O MPF sugeriu ainda que os simpatizantes do petista ficassem em locais diferentes dos opositores da político. A sugestão dos procuradores era que os manifestantes a favor ficassem restritos ao Parque Farroupilha (Redenção), enquanto os movimentos de repúdio a Lula se mantivessem no Parque Moinhos de Vento (Parcão). O pedido, entretanto foi negado pelo juiz.

PublicidadePublicidade

Em maio deste ano, durante o primeiro depoimento de Lula como réu em Curitiba, as autoridades do Paraná tiveram que montar um esquema de segurança em função das enormes manifestações de apoiadores e grupos contrários ao ex-presidente.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.