Portal 6

Gritos de socorro levam parentes às pressas para porta do presídio de Anápolis

(Foto: Jonathan Cavalcante)

Alguns até passaram a noite no local e alegam terem sofrido ameaças

Familiares de detentos passaram toda a madrugada desta quarta-feira (29) vivendo momentos de desespero na porta do Centro de Inserção Social Monsenhor Luis Ilc, a cadeia pública de Anápolis.

É que, segundo esses próprios familiares, os presos de um pavilhão especial foram transferidos para a Ala C da unidade e agora estão sendo ameaçados de morte.

“A gente viu as roupas deles jogadas no lixo. O diretor avisou da transferência e logo veio a notícia de uma morte. Colocaram 34 presos numa cela só, todos de cueca e sem comida. A gente dormiu aqui na porta e daqui de fora a gente ficou ouvindo eles pedindo socorro, que estavam correndo risco de morte”, contou uma mulher que preferiu não ser identificada ao repórter Jonathan Cavalcante.

Uma outra mulher, que também não terá o nome revelado, está com um irmão preso por homicídio. Aos prantos, ela disse de saiu de Nerópolis para acompanhar de perto a situação, pois tem uma mãe doente e com medo de que o filho seja assassinado.

“Eu sei que ele foi errado, mas só quem pode tirar a vida é Deus. Os policiais vieram aqui falar que se não saíssemos da porta iriam atirar na gente. Minha mãe tá doente, desesperada e meu irmão está correndo risco de morte. Tem que voltar eles para trás, não quero que meu irmão morra lá dentro, eu preciso saber que ele vai ficar bem”.

Em nota, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que estão sendo realizados procedimentos internos de rotina de segurança na cadeia, mas que a ordem e disciplina estão mantidas sob controle.

A reportagem do Portal 6 também procurou o 28º BPM, responsável por ajudar no policiamento externo da unidade, que negou que policiais tenham feito qualquer ameaça contra parentes dos presos.

Veja na íntegra a nota da DGAP

A direção do Centro de Inserção Social Monsenhor Luís Ilc, localizado em Anápolis, pertencente à 1ª Regional Prisional Metropolitana da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), informa que procedimentos internos de rotina de segurança estão sendo realizados na unidade, o que possivelmente seja o motivo da aglomeração de familiares de presos na porta do local. Contudo, a direção ressalta que a ordem e a disciplina estão mantidas sob controle.

Quer comentar?

Comentários




Nosso Twitter



Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.