Portal 6

Garotinha vítima de atropelamento em Anápolis era muito alegre e gostava de brincar

(Foto: Reprodução)

Motorista, que estava embriagado, afirmou que tentou impedir o acidente, mas não conseguiu. Família quer Justiça

Sob revolta e comoção, Barbara Eliza Miranda Pereira, de cinco anos, foi sepultada na tarde deste domingo (13) no Cemitério São Miguel. No sábado (12), Dia das Crianças, ela morreu em razão de um atropelamento no Parque Residencial das Flores, bairro da região Nordeste de Anápolis.

O acidente ocorreu enquanto a garotinha brincava com seus irmãos e amigos, na Rua 11. Um caminhão baú, que transitava pela via, passou em cima de Barbara Eliza, que estava em um velocipe e teve fraturas no fêmur da perna direita e outras escoriações. Ficou constatado que o motorista, Alex José de Oliveira, de 52 anos, encontrava-se embriagado.

Na Central de Flagrantes da Polícia Civil (PC), ele disse que havia tomado duas cervejas e dirigia a caminho de um serviço de poda que faria. Surpreso com o teor alcoólico de 0,93 mg/l marcado pelo bafômetro, Alex José explicou que viu o momento em que Barbara Eliza entrou na frente do caminhão, mas mesmo freando imediatamente não conseguiu impedir o acidente.

O motorista, que foi encaminhado ao Centro de Inserção Social Monsenhor Luiz Ilc, também negou que tenha tentado deixar o local após o atropelamento e reforçou que “em nenhum momento passou pela sua cabeça fugir com o veículo”. Sandro Marcelo Alves, avô de Barbara Eliza, em entrevista ao G1, contestou essa afirmação.

“Ele quis fugir”, retrucou, ponderando que o desejo da família é por Justiça e que Alex José permaneça preso. Caberá à Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito (DICT), que tem como titular o delegado Manoel Vanderic, esclarecer o caso.

Socorro

Antes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) chegar até o local do acidente, Barbara Eliza que era sempre muito alegre, foi amparada por populares e colocada próximo de uma calçada. Enquanto aguardava a chegada de uma ambulância, ela conversava normalmente e aparentava estar bem, querendo se levantar, segundo o relato de testemunhas.

Conduzida para o Hospital Estadual de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (HUANA), a garotinha foi estabilizada e entubada para ser transportada até o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (HUGOL). No caminho até a unidade, instalada na região Noroeste de Goiânia, ela não resistiu.

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.