PublicidadePublicidade

O estranho caso de estupro que a Polícia Civil de Anápolis terá de investigar

Da Redação Da Redação -
Central de Flagrantes da Polícia Civil. (Foto: Danilo Boaventura)

Na noite de domingo (18), policiais militares tiveram de se deslocar até o Residencial Leblon, região Leste da cidade, para registrar um caso complicado.

É que uma adolescente de 17 anos pediu ajuda, afirmando ter sido vítima de um estupro após solicitar um carro por aplicativo, na Rua 14 de Julho, no Centro.

Levada até a Central de Flagrantes, a menor contou que estava sozinha na rua e um veículo com vidros escuros estacionou. Concluindo que seria o carro do aplicativo, alega ter entrado e sido surpreendida por dois homens armados no banco de trás.

Além de ter tido o celular roubado, a menor diz ter sido levada para uma mata, onde um dos suspeitos teria a forçado a ter relações sexuais. Os outros dois só não teriam feito o mesmo porque ela implorou para que parassem pois estaria grávida.

Em seguida, a abandonaram em uma rua e a garota sustenta que precisou pedir ajuda para um senhor para que então a PM fosse acionada.

Na delegacia, chamou a atenção o fato de a adolescente afirmar saber onde o rapaz que a estuprou mora. No entanto, não soube precisar o nome dele e, quando os militares estiveram no endereço, ninguém foi encontrado.

A garota também se recusou a ser submetida ao exame médico que constataria se houve realmente a conjunção carnal.

Por ser menor de idade, o Conselho Tutelar teve de ser chamado para acompanhar o caso. Segundo a menor, ela vive com uma amiga porque o pai mora na Irlanda e a mãe tem residência em Brasília.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade