PublicidadePublicidade

Trabalhador tem até esta quinta (31) para sacar FGTS emergencial

Caso não seja resgatado até a data, o recurso volta para o saldo do Fundo do trabalhador

Folhapress Folhapress -
(Foto: Reprodução)

Trabalhadores têm até esta quinta-feira (31) para sacar ou movimentar o FGTS emergencial de até R$ 1.045. Caso não seja resgatado até a data, o recurso volta para o saldo do Fundo do trabalhador.

O saque foi liberado pelo governo federal como uma das medidas para amenizar a crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19.

A disponibilização da grana foi feita automaticamente pela Caixa na poupança social digital, criada pelo banco para quem tem saldo nas contas ativas ou inativas. Independentemente do saldo do FGTS, o valor do FGTS emergencial é de, no máximo, R$ 1.045.

PublicidadePublicidade

A movimentação pode ser feita pelo aplicativo Caixa Tem para transferências e pagamento de boletos, por exemplo. Também é possível sacar o recurso em agências da Caixa.

O período para saques começou no final de junho, para quem nasceu no mês de janeiro, e o calendário de liberações seguiu de acordo com o mês de nascimento até o dia 14 de novembro, quando saiu o lote dos aniversariantes de dezembro.

Devolução começou em novembro

Os valores não sacados do FGTS emergencial começaram a ser revertidos às contas vinculadas correspondentes a partir de 30 de novembro.

Os cidadãos que não conseguiram sacar a tempo e que desejarem retirar os recursos puderam solicitar o saque pelo aplicativo FGTS a partir do dia 7 de dezembro. O prazo termina nesta quinta (31).

Nesses casos, o saldo é transferido novamente para a conta digital aberta automaticamente pela Caixa para todos os beneficiários e fica disponível para movimentação pelo aplicativo Caixa Tem.

Fraudes no FGTS emergencial

Muitos trabalhadores têm se queixado de fraudes no seu FGTS emergencial.

Depois de conseguir o CPF do trabalhador, o criminoso obtém a senha do Caixa Tem e cadastra um email criado por ele como sendo da vítima. Com esses dados, consegue movimentar os valores, pagar compras e até pagar boletos.

Há duas formas de identificar o golpe: acompanhar extratos do FGTS ou tentar fazer o saque pelo aplicativo Caixa Tem.

O trabalhador que acreditou que não precisaria sacar o crédito feito pelo governo em uma conta aberta em seu nome, sem autorização, poderá nunca perceber que o dinheiro foi subtraído.

Quem descobriu que caiu no golpe deve ir pessoalmente a uma agência da Caixa para contestar o saque indevido. É preciso levar CPF e documento oficial com foto.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade