PublicidadePublicidade

Ação de militares foi decisiva para que recém-nascida não morresse engasgada

Criança foi levada em seguida para a UPA Pediátrica do município

Da Redação Da Redação -
(Foto: Divulgação/ PM)

Uma mãe e avó passaram momentos de muito pânico e desespero no final da manhã deste domingo (18).

Isso porque uma bebezinha, de apenas 18 dias, engasgou e ficou sem condições de respirar por um longo período de tempo.

Desesperadas, as responsáveis correram para o quartel mais próximo, na Vila Jaiara, e imploraram por ajuda.

PublicidadePublicidade

Os militares do local fizeram o procedimento de primeiros socorros que pareceu ajudar por um momento, mas logo a garotinha voltou ao mesmo estado de antes, chegando a ficar roxa pela falta de ar.

Foi neste momento que a equipe composta pelos soldados Yasmin e Nunes desembarcaram no quartel e partiram em auxílio da recém-nascida, que já se encontrava em um estado crítico.

Colocando em prática os ensinamentos de um curso feito com os bombeiros, o Sd Nunes deu início ao processo de tapotagem, em uma tentativa de desobstruir as vias aéreas e permitir a entrada de ar.

Durante todo o percurso até à UPA Pediátrica, onde a bebê foi levada para receber atendimento emergencial, o militar foi realizando os primeiros socorros junto de massagem cardíaca, o que deu os primeiros sinais de uma possível melhora.

Posteriormente, já na unidade e depois da situação ser normalizada, o médico responsável pelo caso disse que tais ações foram essenciais para que a nenê pudesse sair da situação com vida.

Final feliz

Depois de viver um dia de herói, o soldado Nunes se mostrou aliviado e bastante feliz com o desfecho de toda a história.

“Graças a Deus deu tudo certo com os primeiros socorros e, o mais importante de tudo, a bebezinha ficou bem.”

Também em entrevista ao Portal 6, o Tenente Lacerda, da Polícia Militar, explicou a importância de se ministrar cursos do tipo e a sensação de felicidade que se traz quando o conhecimento deles é bem aplicado e resultam até no salvamento direto de vidas.

“Nos cursos de formação da Polícia Militar são ministrados cursos de primeiros socorros porque, apesar de existirem órgãos específicos, como o SAMU e o Corpo de Bombeiros Militar, o efetivo da PM é maior, e sempre que precisar, terá um policial a postos para atender”, explicou.

“É inexplicável a sensação do policial que participa desse tipo de ocorrência, de ver o semblante da mãe de desespero, se transformar em alívio e felicidade”, finalizou o oficial.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade