PublicidadePublicidade

Veja a jornada emocionante de bombeiros que se arriscam dia e noite em Anápolis

Cidade conta com a dedicação de 130 militares. O Portal 6 conversou com 11 deles, que contaram momentos marcantes da carreira

Rafaella Soares Rafaella Soares -
(Foto: Divulgação)

Os bombeiros militares passam todo o dia atendendo os mais diversos tipos de chamados. Capturam animais em perigo, resgatam vítimas de acidentes, apagam incêndios, fazem buscas em afogamentos e enchentes, dentre diversas outras atividades, que exigem resistência, disciplina e, acima de tudo, muita força de vontade.

Há também os momentos de puro amor, em que os militares se mobilizam para realizar sonhos de crianças que estão fazendo aniversário, e os de adrenalina, em que precisam agir rápido para ajudar a salvar, até mesmo por telefone, por exemplo, algum bebê que está se engasgando.

Atualmente, Anápolis conta com a dedicação e serviço de 130 bombeiros, que são divididos entre o operacional, administrativo e CIBM (mergulhadores, especialistas e aqueles que atuam com cães farejadores em missões especiais).

PublicidadePublicidade

E nesta sexta-feira (02), em que é celebrado em todo o Brasil o Dia dos Bombeiros, o Portal 6 pediu para que alguns dos militares que trabalham na cidade contassem qual foi o momento que mais marcou a carreira de cada um.

Confira e se emocione

Tenente Coronel Altiere Araújo de Oliveira – Piloto de avião e Comandante do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Anápolis

Altiere Araújo de Oliveira é tenente coronel do Corpo de Bombeiros de Goiás. (Foto: Divulgação)

Uma que me marcou e fiquei emocionado, foi de quando salvei uma criança de seis anos que estava se afogando. Foi a primeira pessoa que salvei na água. No aéreo, eu transportei crianças do interior para Goiânia e já levei crianças para fazer cirurgias em outros estados. Em uma delas, busquei uma recém-nascida em Porangatu. A avó veio junto no avião, bem apertadinha, do lado da incubadora. A mãe não estava bem e tivemos que decolar e pousar à noite, sem balizamento, para salvar essa criança.

Capitão Mendonça

(Foto: Arquivo pessoal)

Uma ocorrência que marcou muito para mim, foi uma que atendemos em Goiânia, enquanto ainda era Aspirante a Oficial no 1° BBM. A princípio, se tratava de uma ocorrência de vazamento de GLP em apartamento, mas chegando no local, constatamos se tratar de tentativa de autoextermínio. Ali mesmo, com o ar dos Equipamentos de Proteção Respiratória da Guarnição, ventilamos a vítima até que ela deu uma respirada bem profunda e, como que em um milagre, tornou à vida diante dos nossos olhos.

3º Sargento Junqueira

(Foto: Arquivo pessoal)

Eu procuro manter minhas emoções sob controle para prestar o melhor atendimento possível e passar confiança e a certeza de que vai dar tudo certo para as vítimas. Dessa forma, não me envolvo pessoalmente e consigo chegar em casa tranquilo e com a certeza de dever cumprido. Mas foi muito doloroso quando precisamos prestar socorro para o Sargento Diniz, um companheiro de farda. Marcou muito e fiquei realmente abalado. 

3º Sargento Sílvia 

(Foto: Arquivo pessoal)

Dentre várias histórias, tenho uma recente que me marcou muito. Estávamos chegando em um hospital com uma vítima de acidente e vimos uma criança chegando com os tios. Ela havia sido mordida na face por um cachorro e minha guarnição tomou a iniciativa de pegá-la, com autorização da família, e levá-la em horário de pico no trânsito para o HUANA, que seria o local próprio pra atendê-la. Hoje ela está linda, com o rosto totalmente recuperado e é super amada pelos pais e família.

1º Sargento Tavares

(Foto: Arquivo pessoal)

Para mim, foram vários os dias marcantes, mas um dia muito marcante foi quando eu ajudei a reanimar o sargento Diniz, um colega de farda.

2º Sargento Elson

(Foto: Arquivo pessoal)

Uma das ocorrências que mais marcaram minha carreira foi a do dia em que eu estava participando de um evento no Estádio Jonas Duarte. Era uma formatura do Colégio Militar e uma moça se engasgou com um pedaço de carne. Eu estava sentado com a minha família, porque meu filho ia desfilar. Quando olhei, a moça estava cercada por parentes e ninguém sabia o que fazer. Por instinto, me levantei e fui ver o que estava acontecendo. Falaram que havia se engasgado e eu notei que ela já estava bem debilitada, quase desmaiando. Depois de fazer várias manobras, conseguimos retirar o corpo estranho da garganta e ela voltou a respirar. Depois ela veio no quartel e me agradeceu juntamente com a família toda. São momentos assim que marcam a vida da gente. 

3º Sargento Nonato

(Foto: Arquivo pessoal)

Um dos momentos que mais me marcou foi quando eu trabalhava na 13ª companhia de Goianésia. Havia chegado nos Bombeiros há dois anos e fomos atender um veículo que caiu dentro de um córrego com 07 pessoas da mesma família dentro. Dentre elas, duas crianças veio a óbito. Tentamos a reanimação no local, mas elas ingeriram muito liquido e não voltaram à vida. E essa foi uma das que mais me impactou, porque tinha acabado de começar a carreira. 

1º Sargento Eduardo 

(Foto: Arquivo pessoal)

Um dia muito marcante para mim foi quando consegui resgatar com vida uma vitima de 11 anos de dentro de uma fossa, após um ataque de fúria de um usuário de droga, que agrediu violentamente quatro membros da família. Três infelizmente faleceram, mas a criança pôde ser resgatada com vida. 

Sub Miguel

(Foto: Arquivo pessoal)

Em uma pedreira nas proximidades do Distrito de Interlândia, um cachorro de grande porte caiu em cima de uma copa de árvore e ficou preso. Amarramos o cachorro e na hora de subir, estava machucando. Então eu desci e fiquei lá com ele. Estava chovendo e esperei os colegas irem até o quartel para buscar a embarcação, porque lá tinha que atravessar uns 600m na água e estava à noite. No começo, o animal estava arredio, mas depois ficou manso. Ele encostava a cabeça no meu ombro, como que se perguntasse se sairíamos dali. Estava fazendo frio. Essa ocorrência foi diferenciada. Foi com um animal, mas animal também é vida. 

2º Sargento Torquato

(Foto: Arquivo pessoal)

A ocorrência que me marcou mais, foi uma PCR há alguns anos. Estávamos no quartel, quando chegou uma jovem pedindo socorro, dizendo que o pai estava morrendo. Ao chegar no local, fomos recebidos por populares que diziam que já estava morto. Entramos, colocamos o desfibrilador, demos o choque e colocamos em uma prancha e levamos para viatura. Iniciamos a ressuscitação e deslocamos para o hospital. Alguns meses depois, um senhor chegou com uma moça no quartel, perguntando quem estava de serviço e, por acaso, era nossa guarnição. Eram eles. Tinham ido agradecer por tê-lo salvado e por temos acreditado que ele poderia voltar. Nesse hora, vemos que podemos fazer a diferença na vida das pessoas. Graças a Deus!!

Cabo F Ramos

(Foto: Arquivo pessoal)

Uma das ocorrências que ficou marcada na minha vida de bombeiro, foi a de um resgate de vítima de capotamento. O carro se encontrava em lugar de difícil acesso e um homem estava preso às ferragens. Ele clamava o tempo todo para que não o deixássemos morrer, pois a esposa e filhos precisavam dele. Graças a Deus o atendimento foi realizado com sucesso e aquele pai pôde voltar para sua família. Depois desse dia, pude ver a real importância do trabalho dos bombeiros.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade