PublicidadePublicidade

Em visita a Anápolis, Caiado volta a falar da falta d’água e deixa sério alerta sobre a pandemia da Covid-19

Fala do governador aconteceu durante a solenidade de sanção do projeto de Lei para expansão do DAIA e ampliação de empresas

Rafaella Soares Rafaella Soares -
Ronaldo Caiado falando com a imprensa durante evento de sanção de projeto de Lei para expansão do DAIA. (Foto: Rafaella Soares / Portal 6)

Durante evento realizado na manhã desta terça-feira (27) para sancionar o projeto de Lei que possibilita a expansão do DAIA, o governador Ronaldo Caiado (DEM) falou mais uma vez sobre a preocupação com a falta d’água.

De acordo com o chefe do Executivo Estadual, o desabastecimento é um grande problema para os moradores de Anápolis e também para os empresas do distrito agroindustrial que precisam de um fornecimento regular para dar continuidade com as produções.

“É algo que tem que ser tratado com muito carinho. O maior investimento que tenho hoje na Saneago é para Anápolis, porque chega agosto, a água acaba. E não podemos aceitar o que está acontecendo aqui com o Córrego Extrema, onde tem milhares de toneladas de terra”, disse.

PublicidadePublicidade

“Destruíram o córrego, está totalmente soterrado. Não tem captação nenhuma. Isso não pode ser jogado nas costas do governo, a responsabilidade precisa ser repassada a quem autorizou aquele crime. Foi o maior crime ambiental que eu já vi em uma cidade com déficit de água”, sustentou.

Por causa de um compromisso “inadiável”, o prefeito Roberto Naves (PP) não estava presente. Mesmo assim, o governador pediu que o vice-prefeito Márcio Cândido levasse para a Administração Municipal o pedido para que a cidade reveja o plano ambiental.

“Voltem a atenção para as nascentes. Nós sabemos que é grande o desafio que temos para levar água para população e aos empresários que se instalam na cidade”, orientou Caiado, acrescentando ainda que, na próxima semana, vai inaugurar uma nova Estação de Tratamento de Água no município.

Ampliação do DAIA

Na solenidade de sanção da Lei para autorizar a expansão do DAIA e a ampliação de quatro indústrias, estiveram presentes várias autoridades estaduais, vereadores locais e prefeitos de diversas cidades, como Campo Limpo, Abadiânia, Goianésia e Pirenópolis.

Relator do projeto de Lei na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o deputado estadual Amilton Filho (Solidariedade) contou que a proposta da plataforma nunca havia saído do papel, mas que agora vai possibilitar o desenvolvimento imediato de Anápolis.

“No governo passado essa área estava prestes a ser leiloada e o desenvolvimento da cidade estaria entregue a um grupo com interesses só econômicos. É importante hoje entregar essa área para que possa trazer empresas. Queremos desenvolvimento agora, não amanhã. Agora temos condições e essa ampliação vai ser um novo ciclo de desenvolvimento para cidade”, disse.

Ronaldo Caiado sanciona projeto de Lei para expansão do DAIA. (Foto: Rafaella Soares / Portal 6)

Conforme Ronaldo Caiado, todas as empresas interessadas também terão de começar imediatamente as instalações porque não será mais admitido a “espera por áreas”. O objetivo é, o quanto antes, “qualificar pessoas, dar mais empregos e mais dignidade”.

O presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), Renato de Castro, estima que a vinda de novas indústrias para o local deve gerar aproximadamente 5 mil novos postos de trabalho diretos.

Covid-19

Pouco antes da finalização do evento, o governador também fez um alerta sobre a pandemia da Covid-19.

“Não parem de usar máscara e peço uma campanha intensa para a segunda dose. Muita gente não está tomando e a nova variante [Delta] está atingindo os jovens. Não podemos abrir mão da vacinação”, afirmou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade