PublicidadePublicidade

Com ajuda da filha, mulher armou gritaria e barraco na UPA da Vila Esperança

Policial militar de plantão precisou intervir e acionar reforços para encaminhar envolvidas até a Central de Flagrantes

Da Redação Da Redação -
(Foto: Reprodução)

A madrugada deste sábado (28) foi de muita gritaria na UPA da Vila Esperança, em Anápolis, por causa de uma mulher de 37 anos.

Ela teria se irritado após saber se não poderia entrar com a mãe no consultório médico e, por isso, começou a desmerecer e xingar uma técnica de enfermagem.

Um policial militar de plantão logo percebeu a confusão e pediu para que a mulher se acalmasse.

Enquanto isso, porém, a filha dela, que é menor de idade, entrou sem autorização em uma área exclusiva para os pacientes.

O militar também precisou pedir que a adolescente se retirasse, mas acabou sendo ofendido com várias palavras de baixo calão.

Por isso, não restou ao profissional outra opção a não ser acionar uma viatura de reforço.

As duas envolvidas chegaram a ser contidas por um homem da família e levadas para fora da UPA, mas a mais velha não aceitou que a situação fosse registrada pelo agente, iniciando outra confusão.

Quando os outros policiais chegaram, todos tiveram de ser levados para Central de Flagrantes, sendo que a mulher teve de assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desacato e precisará comparecer em uma audiência da Justiça.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade